PESQUISA  
 
Nesta Edição
Todas as edições


CAPA

PONTO DE PARTIDA (pág. 1)
Mauro Gomes Aranha de Lima


ENTREVISTA (pág. 4)
Kerry Sulkowicz


CRÔNICA (pág. 10)
Fabrício Carpinejar*


CONJUNTURA (pág. 12)
Intoxicação alcoólica


DEBATE (pág. 16)
Lei Maria da Penha e a violência contra a mulher


MÉDICOS NO MUNDO (pág. 23)
Denis Mukwege


HOBBY DE MÉDICO (pág. 27)
Vidal Haddad Júnior


GIRAMUNDO (Pág. 30 e 31)
Avanços da ciência


PONTO COM (Pág. 32 e 33)
Mundo digital & tecnologia científica


HISTÓRIA DA MEDICINA (Pág. 34)
Paulo Tubino* e Elaine Alves**


CULTURA (Pág. 38)
Fernando Zarif


GOURMET (Pág. 44)
Kelma Vera Donuetts


MÉDICOS QUE ESCREVEM (pág. 42)
Luiz Carlos Aiex Alves*


FOTOPOESIA (Pág. 48)
Paulo Neruda


GALERIA DE FOTOS


Edição 76 - Julho/Agosto/Setembro de 2016

GOURMET (Pág. 44)

Kelma Vera Donuetts

Gastronomia é encanto e prazer

Só depois da síndrome do “ninho vazio”,
a pediatra Kelma Vera Donuetts decidiu realizar o sonho
de fazer um curso de gastronomia, com direito a estágio na França

 

Levar doces e petiscos para os colegas de trabalho degustar no plantão do hospital era um costume da pediatra Kelma Vera Douetts. Eles apreciavam tanto as guloseimas que passaram a incentivá-la a fazer um curso de gastronomia. O gosto pela cozinha vinha, porém, desde quando era pequena e passeava pela cozinha da mãe. Aos poucos, começou a se aventurar fazendo doces e bolos, e assim foi tomando gosto pela culinária. Porém, com os filhos pequenos e o exercício da medicina, foi adiando o projeto.


Segundo Kelma, "para cozinhar é preciso ter coração"


Somente quando começou a sofrer a síndrome do “ninho vazio”, ao se dar conta de que os três filhos, Ícaro (35), Théo (32) e Átila (31), haviam crescido e estavam seguindo seus caminhos, a médica julgou que o momento era ideal para realizar o seu sonho.  Iniciou, assim, em 2008, um curso de gastronomia, de dois anos, no Centro Universitário Nossa Senhora do Patrocínio, em Itu.

No primeiro dia de aula, os alunos foram informados de que no final do curso teriam de fazer um estágio. “A professora disse que poderia ser realizado em qualquer lugar, até mesmo na França. Na hora eu pensei: França, meu Deus!” Porém, os professores não a incentivaram a fazer a viagem, julgando que, devido a sua idade, ela não teria disposição para a dinâmica da cozinha francesa. Acabou por fazer seu estágio em uma padaria na cidade de Indaiatuba. Ao entregar seu relatório para a professora, esta percebeu a falta de entusiasmo da aluna e questionou-a sobre a ida à França, dizendo que, se era mesmo o que ela queria fazer, deveria ir.
 

En France

Determinada, decidiu que iria, sim, fazer o estágio do jeito que sonhara. Afinal, graças à rotina intensa dos hospitais onde trabalhou, já estava adaptada a muitas horas de trabalho e poucas de descanso. Faltando apenas três meses para a viagem, Kelma fez um curso intensivo de francês, organizou tudo e embarcou com alguns colegas da faculdade para uma experiência de oito meses no país que ocupa o topo do ranking quando o assunto é gastronomia, o destino mais desejado por todos aqueles que amam a cozinha.

Lá, ficou em Molitg-les-Bains, uma cidade no alto de uma montanha, no Sul da França, próxima à fronteira com a Espanha. Em sua estadia, estagiou a maior parte do tempo na cozinha do Grand Hotel, que conta com um spa termal muito frequentado no verão, devido a uma alga mediterrânea encontrada nas proximidades que é eficaz no tratamento de psoríase. Associado ao tratamento, os hóspedes mantêm uma dieta leve e saudável, por isso os pratos costumavam ser à base de peixes, crustáceos, queijos leves, verduras, legumes e frutas.

A pressão do chefe era um grande desafio. “Ele só conseguiu me respeitar quando entendeu que eu estava lá pela paixão por cozinhar e não para me tornar chef”, lembra. “Meus amigos dizem que vão me inscrever no Master Chef, mas não quero mais esse estresse das grandes cozinhas”, pondera.
 

Chez Kelma

Ao retornar ao Brasil, em novembro de 2010, montou em sua casa um espaço no gênero petit comité (pequeno grupo) para receber confraternizações, o Chez Kelma, inspirado no Chez Nous Chez Vous, restaurante administrado por chefs brasileiros em Paris. Os cardápios eram escolhidos pelos clientes sob a curadoria da chef, geralmente com várias entradas, um prato principal, uma sobremesa, e os vinhos combinando com os pratos. Mas não durou muito tempo. “Gosto mesmo é de reunir os familiares e amigos em casa, mas faço isso muito menos do que gostaria. A rotina de todo mundo é muito movimentada, falta tempo. Por mim, cozinharia para eles ao menos uma vez na semana, ficaria muito feliz.”, afirma.

Como médica, atende, atualmente, na Pediatria do pronto-socorro do Hospital São Camilo, em Salto; e é diretora social da Associação Paulista de Medicina (APM) de Indaiatuba. Nascida em Fortaleza, graduou-se em Medicina pela Universidade Federal do Ceará, em 1980. Quando se casou, foi morar na Bahia, depois se mudou para Campinas e, mais tarde, para Indaiatuba, onde vive com o marido, Alexandre.

Além do trabalho no hospital, filha única, a médica cuida da mãe de 89 anos, que mora a algumas quadras de sua casa. “Ela está bem de saúde, mas cobra muito a minha atenção”. Contudo, ainda encontra tempo livre para, além de cozinhar, praticar outros hobbies, entre eles artes manuais: crochê, patchwork e pintura em superfícies, tais como tela, louça e madeira.

Quanto à cozinha, Kelma resume: “transformar os ingredientes em algo saboroso é química pura, mas para cozinhar também é preciso ter coração, sentir o alimento e o prazer em ver as pessoas gostarem do prato que você preparou. É um conjunto, desde comprar os ingredientes até arrumar a mesa”.

Para a Ser Médico, a médica preparou, como prato principal, um risoto de limão siciliano e, de entrada, crumble courgette-chèvre, feito com abobrinha, queijo de cabra e farofa;  para a sobremesa, clafoutis de frutas vermelhas; os dois últimos são típicos da cozinha francesa. Acima, as receitas dos três pratos, que ela compartilha com nossos leitores.

(Todos os pratos são para quatro pessoas)


ENTRADA

Crumble courgette-chèvre (farofa, abobrinha e queijo de cabra)

 

 

  • 1 abobrinha
  • 1 colher de sopa de azeite de oliva
  • 60g de farinha de trigo
  • 20g de manteiga amolecida
  • 15g de parmesão ralado
  • 2 colheres de café de água
  • 1 pedaço de queijo de cabra

Modo de preparo

. Descasque, lave e corte a abobrinha em cubinhos. Refogue no azeite durante 10 minutos em fogo alto. Sal a gosto.
. Prepare a farofa. Em um pirex, misture com as pontas dos dedos a farinha, a manteiga, o parmesão e a água. Coloque a farofa em uma assadeira e leve ao forno (180ºC) durante 10 a 15 minutos.
. Corte o queijo de cabra em cubinhos.
. Disponha primeiramente a abobrinha, e depois o queijo e a farofa, em colheres de porcelana ou ramequins. Servir.
 


PRATO PRINCIPAL

Risoto de limão siciliano, crispis de presunto parma e melão

  • 3 colheres de sopa de azeite de oliva
  • ½ xícara de cebola picada
  • 2 xícaras de arroz arbóreo
  • 1 xícara de vinho branco
  • 8 xícaras de caldo de legumes ou frango
  • Raspas de 4 limões sicilianos
  • 100g de presunto fatiado
  • 1 xícara de queijo parmesão ralado
  • 1 xícara de melão em cubos
  • 2 colheres de sopa de manteiga
  • sal e salsa a gosto
  • 100g de presunto parma para levar ao forno de 200ºC por 20 minutos para formar os crispis

Modo de preparo

  • Em uma panela, aquecer o azeite e refogar a cebola até murchar. Acrescente o arroz e continue refogando e em seguida coloque o vinho. Quando secar, vá colocando o caldo aos poucos. Mexa sempre.
  • Quando o arroz estiver quase cozido, acrescente o presunto cru, o parmesão e a manteiga.
  • Mexer bem para incorporar os sabores.
  • Adicionar o melão.
  • Colocar o risoto nos pratos, decorando-os com salsa e crispis de presunto. Servir.

SOBREMESA

Clafoutis de frutas vermelhas ou cereja
 

 

 

 

  • 2 ovos
  • 40g de farinha de trigo ou farinha de amêndoas (pode usar 20g de cada tipo)
  • 100g de açúcar
  • 400ml de leite
  • 400g de creme de leite fresco
  • 1 colher de sopa de essência de baunilha
  • frutas vermelhas, a gosto

Modo de preparo

  • Bata os ovos com o açúcar e a farinha. Acrescente o creme de leite, o leite e a baunilha.
  • Unte os ramequins com manteiga.
  • Coloque o creme, acrescente as frutas.
  • Assar no forno de 200ºC por 30 a 40 minutos.
  • Servir.

 

Colaborou: Janaina Santana


Este conteúdo teve 49 acessos.


CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
CNPJ: 63.106.843/0001-97

Sede: Rua Frei Caneca, 1282
Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
(11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 9h às 20h)

HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h


ESTACIONAMENTOS : NOVOS CONVÊNIOS


CONTATOS

Regionais do Cremesp:

Conselhos de Medicina:


© 2001-2019 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 275 usuários on-line - 49
Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior