PESQUISA  
 
Nesta Edição
Todas as edições


CAPA

EDITORIAL (SM pág. 1)
Ponto de partida - Os conselheiros eleitos em 07/08/08 assumiram a árdua tarefa de trabalhar pela dignidade do exercício da Medicina e pelo bom conceito da profissão - Henrique Carlos Gonçalves


ENTREVISTA (SM pág. 4)
Entrevista - Jair Mari conversa com Avshalom Caspi e revela, especialmente para nossos leitores, fatos inusitados de suas pesquisas


ESPECIAL (SM pág. 9)
Angola - O enorme desafio dos médicos brasileiros na reconstrução da saúde em um país destruído pela guerra


CRÔNICA (SM pág. 16)
Pasquale Cipro Neto: reabsorvendo as mudanças na ortografia brasileira...


SINTONIA (SM pág. 18)
Questão de Justiça: Cremesp foi o primeiro Conselho de Medicina do país a reconhecer a imprescritibilidade da prática ou acobertamento dos crimes de tortura


DEBATE (SM pág. 22)
Declaração de Helsinki: debate avaliou tópicos polêmicos da proposta, apresentada em encontro no Brasil


HISTÓRIA (SM pág. 28)
SUS 20 anos: deficiências reconhecidas à parte, houve o resgate do direito dos cidadãos ao atendimento básico de saúde


CULTURA (SM pág. 32)
João Carlos Martins: a paixão pela música muito além de seu drama, que o impede de tocar mas não de reger magnificamente


GOURMET (SM pág. 36)
Confira (e prepare!) a receita de um prato tradicional da cultura espanhola: a paella


AMBIENTE (pág. 39)
Apaixonado pela natureza, médico publica livro e doa 240 mudas de árvores frutíferas à escola agrícola de Rio Claro


TURISMO (SM pág.42)
Se você gosta de praia, não perca. Se não gosta, pode vir conhecer sem receio...


POESIA (SM pág. 48)
A poesia desta edição é de autoria de Pedro Nava, médico, escritor e poeta


GALERIA DE FOTOS


Edição 45 - Outubro/Novembro/Dezembro de 2008

GOURMET (SM pág. 36)

Confira (e prepare!) a receita de um prato tradicional da cultura espanhola: a paella

Paella de pescador


O chef da APM-Santo André, César de Carvalho Stocco

Foi da necessidade dos camponeses e pescadores espanhóis moradores da região de Valência, nos séculos XV e XVI, que nasceu o mais famoso prato espanhol, a paella. Quando iam trabalhar não podiam carregar muito peso e, por isso, levavam somente arroz, azeite de oliva, sal e uma panela rasa, redonda e com alças.

Inicialmente adicionava-se ao arroz carnes de caças, geralmente coelho ou lebre, além de vagens e ervilhas. Porém, devido à privilegiada posição geográfica – Valência tem a costa banhada pelo Mar Mediterrâneo –, não demorou para que a receita fosse incrementada com  frutos do mar. Hoje, a paella é um prato tradicional da cultura espanhola e o ponto central das reuniões familiares nos finais de semana – assim como a feijoada brasileira. A popularidade do prato na Espanha fez o livro Guinness de recordes registrar, em outubro de 2001, a maior paella já feita, precisamente em Valência, para 110.000 felizardos que puderam saboreá-la.

Foi por necessidade também que o otorrinolaringologista e diretor financeiro da Associação Paulista de Medicina (APM) de Santo André, César de Carvalho Stocco, começou a cozinhar. Quando saiu de Marília e foi para Santo André cursar a Faculdade de Medicina do ABC, Stocco começou sua jornada pelo universo culinário. “Sempre gostei de comer bem, mas quando era jovem não podia fazer isso em restaurantes. Então, aprendi a cozinhar”, conta.

A necessidade do passado virou hoje uma maneira de relaxar.  Uma das especialidades de Stocco é justamente a paella, que gosta de preparar para muitos comensais, mas não tem a pretensão de entrar para o Guiness (a paella recordista de Valência foi mexida por um guindaste!). “Tenho dificuldade em calcular medidas na hora de cozinhar para poucos. Estou acostumado a cozinhar para 30 ou 40 pessoas”. É o doutor Stocco quem assume a cozinha na maioria dos eventos realizados na APM de Santo André. Ele também domina muitas receitas à base de peixes. Aliás, um de seus hobbies é a pesca. Stocco faz parte de um grupo de amigos médicos que sempre promove pescarias pelo Brasil. Quando concedeu esta entrevista, preparava-se para uma viagem ao sul do Pará, em busca do saboroso tucunaré (peixe da região amazônica) pelas águas do rio São Benedito, um afluente do rio Madeira.  

O médico também gosta muito de preparar pratos à base de massas “por ser mais rápido e porque dá para criar”. Apesar de ser capaz de executar um vasto cardápio, são as receitas mais simples que fazem sucesso na família do otorrinolaringologista. O médico dá uma dica importante: “é bom sempre adaptar e dar um toque pessoal às receitas, porque nem sempre é possível encontrar todos os ingredientes”. A paella que Stocco preparou especialmente para Ser Médico é uma adaptação bem ao seu gosto pessoal. Um dos principais ingredientes do prato, o mexilhão, não faz parte da receita do doutor César. Isso porque o médico acredita que o ingrediente deixa um sabor muito marcante e acentuado. Ele também dispensa as carnes de caça. Porém, inova sua receita com pequenas dicas que fazem a diferença.

(Colaborou Patrícia Garcia)

Paella à la Stocco
Para seis pessoas

Caldo de peixe (para regar a paella)

Ingredientes

• 1 kg de carcaça de peixe branco
• 1 litro de água
• 1 copo de vinho branco
• 1 cenoura
• ½ cebola grande
• 3 dentes de alho
• 1 talo de alho-poró
• tomilho
• salsa e louro
• sal

Preparo
Refogue o alho e a cebola, depois despeje a água. Ao levantar fervura, coloque os demais ingredientes para cozinhar por aproximadamente 30 minutos. Reserve o líquido.  

Paella

Ingredientes

• 300 gramas de vôngoli
• 300 gramas de lula cortadas em rodelas
• 300 gramas de polvo picado
• 300 gramas de postas de cação cortadas em cubos
• 300 gramas de camarão sete barbas sem casca
• 6 camarões rosa limpos e com casca
• 6 xícaras de café de arroz parbolizado
• 3 tomates (de preferência italianos) picados, sem casca e sem sementes
• 1 pimentão vermelho grande cortado em tiras finas, sem pele, refogado previamente
• 1 cebola grande picada
• 3 dentes grandes de alho
• 2 envelopes de tempero especial para paella (disponíveis em alguns mercados)
• 5 gramas de fios de açafrão (pode ser encontrado em mercados e casas especializadas)
• 1 xícara de azeite extra-virgem
• pimenta de cheiro
• cebolinha picada
• sal

Preparo
Em uma paellera para seis porções, refogue no azeite o pimentão e os camarões rosa e reserve. Refogue o camarão sete barbas, adicione sal a gosto e reserve. Faça o mesmo processo com os tentáculos de polvo e com os anéis de lula. Refogue a cebola, em seguida junte o tomate e o alho e, depois, o arroz. Adicione no caldo de peixe reservado os dois envelopes de tempero para paella, o açafrão, a pimenta de cheiro e vá regando o arroz e os demais ingredientes aos poucos. Adicione uniformemente sobre o arroz, o vôngoli, o cação cortado em pedaços, o camarão sete barbas, os tentáculos e os anéis da lula e o polvo. Adicione um pouco da pimenta de cheiro. Deixe cozinhar de 15 a 20 minutos em fogo baixo. Depois decore com os camarões rosa, pimentão e uma pitada de cebolinha.


Dicas do doutor


Deixe os tentáculos de polvo e os anéis de lula de molho em leite por duas horas para que fiquem macios. Use esse leite no cozimento do arroz. Stocco prefere utilizar arroz parbolizado, pois fica mais solto que o comum. Mas o prato também pode ser preparado com arroz especial para paella. 

Este conteúdo teve 56 acessos.


CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
CNPJ: 63.106.843/0001-97

Sede: Rua Frei Caneca, 1282
Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
(11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 9h às 20h)

HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h


ESTACIONAMENTOS : NOVOS CONVÊNIOS


CONTATOS

Regionais do Cremesp:

Conselhos de Medicina:


© 2001-2019 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 361 usuários on-line - 56
Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior