Busca
Classificação de assuntos:

Pesquisa por palavra-chave:


Últimas Notícias
  • 09-07-2024
    MEETING TRIBUTÁRIO MÉDICO
    Evento inédito discutirá incentivos fiscais e Reforma Tributária para médicos
  • 05-07-2024
    PMMA Defesa do Ato Médico
    Cremesp notifica Anvisa e pede suspensão cautelar imediata de comercialização, venda e distribuição de produtos com PMMA
  • 04-07-2024
    Ética
    Guia de Boas Práticas na Divulgação Médica traz orientações seguras sobre comunicação nas redes sociais
  • 03-07-2024
    Esclarecimento
    Comissão Regional Eleitoral desmente fake news e informa que quatro chapas continuam disputando o pleito em São Paulo
  • Notícias


    28-03-2017

    Forúm da Folha de S.Paulo

    Presidente do Cremesp critica proposta de planos populares do Ministério da Saúde

    Sérgio Santos, Carlos Goulart, Mauro Aranha e Cláudia Collucci no 4º Fórum da Saúde do Brasil

    O presidente do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp), Mauro Aranha, criticou a proposta defendida pelo Ministério da Saúde sobre a criação de planos de saúde populares, dentro de um processo que ele classificou como de “desconstrução” do Sistema Único de Saúde (SUS). Aranha participou da primeira mesa do 4º Fórum da Saúde do Brasil, promovido pelo jornal Folha de S.Paulo, realizado nesta segunda-feira (27/03). O evento também teve a participação do secretário estadual de Saúde, David Uip.  

    Mediado pela jornalista Cláudia Collucci, a primeira mesa discutiu o tema “Transparência de Dados”, com a participação, além de Mauro Aranha, do presidente da Amil, Sérgio Ricardo Santos e o presidente-executivo da Associação Brasileira da Indústria de Alta Tecnologia para a Saúde (Abimed), Carlos Alberto Goulart.

    “Temos de pensar na transparência de todos, inclusive do Ministério da Saúde, que precisa ser claro em relação ao que está imprimindo para a saúde do País”, afirmou Aranha. “Há um movimento de desconstrução do SUS, enquanto fruto de princípios constitucionais. Na proposta do Governo Federal, de criação de planos populares, não houve transparência e nem discussão com entidades da área da saúde”, completou Aranha.

    De acordo com Sérgio Ricardo, da Amil, a fraude, o erro, o abuso e o desperdício são os que causam mais impacto nos custos das operadoras. Sobre o desperdício, o presidente do Cremesp ressaltou que “a má formação médica leva ao mal diagnóstico, à má indicação terapêutica e de exames laboratoriais”. Aranha lembrou que a série histórica do Exame do Cremesp, realizado há 12 anos, aponta a reprovação de mais da metade dos egressos de escolas médicas. “Ao mesmo tempo, vemos a  abertura indiscriminada de escolas médicas no País, com critérios escusos, não transparentes, sem hospitais escolas, o que é absolutamente necessário para a boa formação médica”, completou. “A transparência de legisladores e de gestores públicos de diversas ordens não acontece em nosso País”, concluiu. 

    O fórum também discutiu, entre outros assuntos, o conflito de interesses na relação dos médicos com a indústria farmacêutica, em especial à relacionada aos produtos de órteses e próteses. Aranha lembrou que em 2015 o Cremesp publicou a Resolução  273, estabelecendo critérios na relação de médicos com as indústrias de OPME (órteses, próteses, materiais especiais e medicamentos). De acordo com ele, o assunto está suficientemente regulamentado no Conselho de Medicina, visando coibir práticas antiéticas, e também pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

     

    Críticas à abertura de escolas

    A  abertura de escolas médicas sem critérios em municípios que não têm hospital-escola e nem mesmo estrutura de saúde para subsidiar a formação, por exemplo, também foi criticada pelo secretário de Saúde, David Uip, que fez a palestra de abertura do Fórum.  

    Tags: Médicos.

    ESTA MATÉRIA AINDA NÃO FOI COMENTADA:

    Deixe o seu comentário

        Dê sua opinião sobre a matéria acima em até mil caracteres. Não serão publicados  textos ofensivos a pessoas ou instituições, que configurem crime, apresentem conteúdo obsceno, sejam de origem duvidosa, tenham finalidade comercial ou sugiram links, entre outros.  Os textos serão submetidos à aprovação antes da publicação, respeitando-se a jornada de trabalho da comissão de avaliação (horário de funcionamento do Cremesp, de segunda à sexta-feira, das 9 às 18 horas). O Cremesp reserva-se o direito de editar os comentários para correção ortográfica.  Os  usuários deste site estão sujeitos à política de uso do Portal do Cremesp e se comprometem a respeitar o seu Código de Conduta On-line.

    De acordo.


    Este conteúdo teve 368 acessos.


    CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
    CNPJ: 63.106.843/0001-97

    Sede: Rua Frei Caneca, 1282
    Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

    CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO

    Imagem
    (11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 8h às 20h)

    HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
    De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h

    CONTATOS

    Regionais do Cremesp:

    Conselhos de Medicina:


    © 2001-2024 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 369 usuários on-line - 368
    Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior

    O CREMESP utiliza cookies, armazenados apenas em caráter temporário, a fim de obter estatísticas para aprimorar a experiência do usuário. A navegação no site implica concordância com esse procedimento, em linha com a Política de Cookies do CREMESP. Saiba mais em nossa Política de Privacidade e Proteção de Dados.