Busca
Classificação de assuntos:

Pesquisa por palavra-chave:


Últimas Notícias
  • 18-03-2019
    Prestação de contas
    Assembleia Geral de médicos aprova gestão orçamentária, financeira e patrimonial do Cremesp em 2018
  • 18-03-2019
    Justificativa Eleitoral
    Médicos que não justificarem a ausência no pleito até 31 de março estarão sujeitos à multa eleitoral
  • 14-03-2019
    Pesquisa
    Participe da avaliação das ações de comunicação desenvolvidas pelo Cremesp
  • 12-03-2019
    Evento
    Especialista expõe trajeto da Ética à Bioética em palestra para delegados do Cremesp
  • Notícias


    21-11-2016

    SUS

    Desafios na saúde do Estado de São Paulo foram debatidos no TCU


    Problemas relacionados à porta de entrada do SUS e falta de
    integração dos sistemas informatizados ocuparam as discussões
    de debate proposto pelo Tribunal de Contas da União


    Mauro Aranha (ao centro) participou das discussões sobre
    alguns dos principais problemas encontrados
    na gestão da saúde no Estado
     
     

    Os principais desafios da saúde no Estado de São Paulo, como a utilização da atenção básica como porta de entrada do sistema de saúde, as deficiências no processo de seleção das organizações sociais e na execução de contratos de gestão, e a falta de integração dos sistemas informatizados do Sistema Único de Saúde (SUS) foram temas de discussão do debate proposto pelo Tribunal de Contas da União (TCU), no dia 7 de novembro. O evento contou com a participação de Mauro Aranha, presidente do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp).

    A baixa utilização da atenção básica como porta de entrada do sistema de saúde tem resultado na falta de integração entre as ações da atenção básica, da atenção secundária e especializada e em sobrecarga das emergências hospitalares. Foram apresentados dados alarmantes que apontam como o tempo de espera excessivo, entre a marcação e a realização de consultas, exames e procedimentos complexos, influencia a população a buscar a emergência de um hospital.

    Os participantes apontaram ainda as dificuldades financeiras nas Santas Casas de Misericórdia do Estado de São Paulo, a baixa cobertura da estratégica da saúde da família e baixa eficiência dos hospitais públicos de pequeno porte, além da falta de estudos que indiquem a adequabilidade dos custos dos contratos de gestão da área de Saúde celebrados no Estado de São Paulo.

    Além de Aranha, participaram do painel de debates Arthur Pinto Filho e Dora Martin Strilicherk (ambos do Ministério Público do Estado de São Paulo), Élida Graziane Pinto (Ministério Público de Contas do Estado), Jair da Costa Matos (Núcleo Estadual do Ministério da Saúde), João Henrique L. Motta Florence (Subsecretaria de Fiscalização e Controle do Tribunal de Contas do Município de São Paulo), Juliana Natália Custódio Silveira (Controladoria Geral do Munícipio de São Paulo), Lisiane Cristina Braecher (Ministério Público Federal), Osvaldo Antonio Donnini (Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo) e Sérgio Swain Muller (Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo).

     

     

    Fonte e fotos: TCU

     

    Tags: TCUgestãosaúdeSUSTribunal de ContasOSSdebate.

    Veja os comentários desta matéria


    Some-se a isso a falta de atenção à obesidade nas UBS, sendo que o tratamento da obesidade é pré-requisito para que o paciente receba o único tratamento oferecido pelo SUS: a cirurgia bariátrica. Os pacientes nem sequer são pesados e o IMC nem é calculado. Na atenção secundária o endocrinologista não tem arsenal terapêutico para tratar obesidade: isso só aumenta o gasto com remédios para hipertensão e diabetes.
    Marcio Mancini

    Deixe o seu comentário

        Dê sua opinião sobre a matéria acima em até mil caracteres. Não serão publicados  textos ofensivos a pessoas ou instituições, que configurem crime, apresentem conteúdo obsceno, sejam de origem duvidosa, tenham finalidade comercial ou sugiram links, entre outros.  Os textos serão submetidos à aprovação antes da publicação, respeitando-se a jornada de trabalho da comissão de avaliação (horário de funcionamento do Cremesp, de segunda à sexta-feira, das 9 às 18 horas). O Cremesp reserva-se o direito de editar os comentários para correção ortográfica.  Os  usuários deste site estão sujeitos à política de uso do Portal do Cremesp e se comprometem a respeitar o seu Código de Conduta On-line.

    De acordo.


    Este conteúdo teve 2217 acessos.


    CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
    CNPJ: 63.106.843/0001-97

    Sede: Rua Frei Caneca, 1282
    Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

    Delegacia da Vila Mariana:
    Rua Domingos de Moraes, 2187 - cj. 223 - Edifício Xangai
    Vila Mariana – São Paulo/SP - CEP 04035-000

    CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
    (11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 8h às 20h)

    HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
    De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h


    ESTACIONAMENTOS : NOVOS CONVÊNIOS


    CONTATOS

    Regionais do Cremesp:

    Conselhos de Medicina:


    © 2001-2019 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 447 usuários on-line - 2217
    Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior