Busca
Classificação de assuntos:

Pesquisa por palavra-chave:


Últimas Notícias
  • 25-09-2020
    Comunicado
    Cremesp interdita médico denunciado por abuso sexual em São Paulo
  • 24-09-2020
    Nota de falecimento
    Cremesp comunica falecimento de funcionário que contribuiu com a gestão do Cremesp nos últimos 40 anos
  • 23-09-2020
    Covid-19
    Após live do Cremesp, SPSP publica documento com orientações para retorno às aulas
  • 23-09-2020
    Ação judicial
    Cremesp solicita afastamento de advogada da Comissão de Direito Médico, após publicações de ataque à classe médica
  • Notícias


    27-08-2016

    Direito Sanitário

    Classificação de medicamentos e tratamentos experimentais foram temas de debate na Escola de Magistrados


    Mauro Aranha (1º à esq.) apresentou os princípios e valores
    que norteiam as deliberações da Casa sobre uso clínico
    de tratamentos experimentais


    Procedimentos utilizados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para aprovação de medicamentos e a posição do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) sobre tratamentos experimentais foram os temas abordados no debate promovido pela Escola de Magistrados da Justiça Federal (Emag) da 3ª região, no dia 23 de agosto. O evento fez parte do curso Direito Sanitário Judicialização da Saúde - possibilidades e limites, promovido pela entidade.

    A diretora da Divisão Técnica de Produtos Relacionados à Saúde do Centro de
    Vigilância Sanitária do Estado de São Paulo, Isabel de Lelis Andrade,  apresentou os estágios do processamento de remédios que consiste na avaliação de riscos, benefícios, eficácia e segurança. Para registro e aprovação de um medicamento são necessárias diversas etapas de avaliação: documentação administrativa, documentação técnica e de qualidade, relatório de segurança e eficácia. É também analisado se existe a necessidade terapêutica para a produção de um novo medicamento. Se houver, ele é submetido a uma pesquisa clínica. “Cada medicamento tem a sua especificidade técnica que exige parâmetros específicos para assegurar a eficácia (...) é preciso balancear a necessidade do medicamento e os riscos (farmacovigilância). O propósito é garantir a segurança, eficácia e regularidade”, afirmou Isabel.

    Presente na mesa de debate, o presidente do Cremesp, Mauro Aranha, apresentou os princípios e valores que norteiam as deliberações da Casa sobre uso clínico de tratamentos experimentais ainda em fases intermediárias da pesquisa clínica. Segundo ele, são necessários diferentes olhares e referências, que simultaneamente subsidiam a deliberação: referencial técnico-cientifico, gravidade da demanda individual e o impacto social das deliberações. Ele explicou que a utilização dos fundamentos da prática médica e dos princípios bioéticos são também aplicados para analisar e verificar a pertinência da medicação. Antes disso, é feita uma avaliação comparativa entre a diferença de eficácia do novo medicamento para o tradicional. Ao final de todo procedimento de análise, a decisão definitiva cabe ao plenário do Conselho.


    Aprovação de medicamentos
    Já quanto aos protocolos de pesquisa , devem ser direcionados para aprovação do Comitê de Ética (CEP) em Pesquisa relativo à Universidade produtora da pesquisa. Aranha comentou sobre a preocupação com o Projeto de Lei de Senado nº 200/15, que tenta desestruturar o sistema de aprovação de medicamentos pelos CEPs e Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (CONEP), vinculada ao Ministério da Saúde.
    O projeto expressa que as drogas demoram para serem aprovadas e propõe a criação de Comitês de Ética independentes.
     

    Canabidiol e Fosfoetanolamina
    O presidente do Cremesp falou ainda sobre a aprovação do uso do canabidiol pela Anvisa, um dos princípios ativos extraídos da planta Cannabis sativa, em casos de crises epiléticas convulsivas graves da infância e adolescência, que podem redundar em retardo mental ou autismo.  A solução de canabidiol não é psicoativa, possuindo 0,6% de THC e uma resolução da Anvisa, já aprovada anteriormente, permitia o uso compassivo de substâncias promissoras para doenças graves, mesmo que ainda em fase II ou III de pesquisa clínica.

    Para o Cremesp, a comercialização da fosfoetanolamina, conhecida popularmente como “pílula do câncer”, foi precipitada porque a pesquisa clínica não havia sido iniciada e não existem evidências científicas que comprovem sua segurança e eficácia.
     

    Acesso à saúde
    Comentando sobre o acesso à saúde, Aranha afirmou que a criação de planos de saúde acessíveis, como sugeriu o ministro da Saúde, Ricardo Barros, fere o princípio da equidade do Sistema Único de Saúde (SUS).  “Os recursos são finitos, mas a distribuição tem que ser feita de forma equitativa, proporcional às demandas dos mais necessitados de atenção. O SUS marco civilizatório do País. É preciso lutar pelo financiamento digno, gestão eficiente e distribuição equitativa dos recursos”, ressaltou.

     

    Fotos: Osmar Bustos

    Tags: AnvisamedicamentostratamentosDireito SanitárioremédiosCONEPCannabis sativacanabidiolfosfoetanolamina.

    ESTA MATÉRIA AINDA NÃO FOI COMENTADA:

    Deixe o seu comentário

        Dê sua opinião sobre a matéria acima em até mil caracteres. Não serão publicados  textos ofensivos a pessoas ou instituições, que configurem crime, apresentem conteúdo obsceno, sejam de origem duvidosa, tenham finalidade comercial ou sugiram links, entre outros.  Os textos serão submetidos à aprovação antes da publicação, respeitando-se a jornada de trabalho da comissão de avaliação (horário de funcionamento do Cremesp, de segunda à sexta-feira, das 9 às 18 horas). O Cremesp reserva-se o direito de editar os comentários para correção ortográfica.  Os  usuários deste site estão sujeitos à política de uso do Portal do Cremesp e se comprometem a respeitar o seu Código de Conduta On-line.

    De acordo.


    Este conteúdo teve 571 acessos.


    CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
    CNPJ: 63.106.843/0001-97

    Sede: Rua Frei Caneca, 1282
    Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

    CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
    (11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 8h às 20h)

    HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
    De segunda a sexta-feira, das 8h às 20h


    ESTACIONAMENTOS : NOVOS CONVÊNIOS


    CONTATOS

    Regionais do Cremesp:

    Conselhos de Medicina:


    © 2001-2020 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 433 usuários on-line - 571
    Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior