Busca
Classificação de assuntos:

Pesquisa por palavra-chave:


Últimas Notícias
  • 13-06-2019
    Portaria
    Cremesp contesta decisão do CFO de registro à especialidade em Harmonização Orofacial a dentistas
  • 12-06-2019
    Ato médico
    Cremesp oficia Crosp por dentista que exerce ilegalmente a Medicina com realização de procedimentos estéticos
  • 12-06-2019
    Oftalmologia
    Cremesp é contrário a alvará para gabinetes optométricos e pede veto a projeto de lei da Câmara Municipal de Campinas
  • 10-06-2019
    Legislação
    Médicos que não justificaram ausência na Eleição Cremesp 2018 devem efetuar pagamento da multa eleitoral
  • Notícias


    13-06-2016

    Clozapina

    SUS adota antipsicótico para tratamento de pacientes com Parkinson

    Protocolo clínico deverá ser publicado em até 180 dias.
    Medicamento já era ofertado no SUS para tratar outras doenças,
    como transtorno bipolar e esquizofrenia



    O medicamento clozapina estará disponível no Sistema Único de Saúde (SUS) para pacientes com transtornos psicóticos associados à doença de Parkinson. A decisão  da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias no SUS (Conitec) atende pedido da Secretaria de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde. 

    A clozapina é usada atualmente no SUS para o tratamento de outras doenças, como transtorno bipolar e esquizofrenia. O Ministério da Saúde deverá elaborar, em até 180 dias, um protocolo clínico que oriente a sua utilização para que o medicamento passe a ser receitado também a pacientes com Parkinson, quando será usado para combater psicoses associadas à doença.

    Segundo a Conitec, essa situação clínica (psicose) é um fator que influencia negativamente no desfecho da doença (com aumento da dependência, das hospitalizações em casas de saúde e da mortalidade) e também a ausência de alternativas com maior evidência de benefícios e segurança tanto para o paciente quanto para o médico.

    A diretora do Departamento de Gestão e Incorporação de Tecnologias em Saúde do Ministério da Saúde, Clarice Alegre Petramale, enfatiza a importância de se garantir o acesso do medicamento a esses pacientes. “As tecnologias já incorporadas ao SUS devem sempre ser usadas de modo a garantir benefícios à saúde da população, com redução de riscos”, explica. “Apesar de tratar um sintoma não tão comum em pacientes com Parkinson, o medicamento será essencial para dar mais conforto e qualidade de vida aos pacientes que apresentam o transtorno”, completou.

    O investimento do Ministério da Saúde para a disponibilização da clozapina aos pacientes com Parkinson é de cerca de R$ 3 milhões ao ano. 


    PARKINSON

    A doença de Parkinson é neurodegenerativa, e, segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), acomete 1% da população mundial com idade superior a 65 anos. No Brasil, estima-se que cerca de 200 mil pessoas sofram com o problema. Além dos problemas motores mais conhecidos, várias manifestações não motoras podem surgir à medida que a doença progride, inclusive os sintomas psicóticos.

    O SUS já garante o acesso a diversos medicamentos para tratamento de Parkinson, que podem ser retirados gratuitamente nas unidades de saúde, em farmácias que dispensam medicamentos do Componente Especializado, ou ainda por meio do Programa Farmácia Popular.

    São ofertados diretamente pelo SUS sete medicamentos para tratamento da doença: Levodopa/carbidopa, Levodopa/benserazida, Bromocriptina, Pramipexol , Amantadina, Biperideno, Triexifenidil, Selegilina, Tolcapona, Entacapona. Já pelo Programa Farmácia Popular, os medicamentos Parkidopa, Biperideno e Prolopa, indicados para esses pacientes, podem ser retirados com até 90% de desconto.

     

     

    Tags: ParkinsonclozapinaSUStratamentomedicamentodoença.

    ESTA MATÉRIA AINDA NÃO FOI COMENTADA:

    Deixe o seu comentário

        Dê sua opinião sobre a matéria acima em até mil caracteres. Não serão publicados  textos ofensivos a pessoas ou instituições, que configurem crime, apresentem conteúdo obsceno, sejam de origem duvidosa, tenham finalidade comercial ou sugiram links, entre outros.  Os textos serão submetidos à aprovação antes da publicação, respeitando-se a jornada de trabalho da comissão de avaliação (horário de funcionamento do Cremesp, de segunda à sexta-feira, das 9 às 18 horas). O Cremesp reserva-se o direito de editar os comentários para correção ortográfica.  Os  usuários deste site estão sujeitos à política de uso do Portal do Cremesp e se comprometem a respeitar o seu Código de Conduta On-line.

    De acordo.


    Este conteúdo teve 2056 acessos.


    CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
    CNPJ: 63.106.843/0001-97

    Sede: Rua Frei Caneca, 1282
    Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

    Delegacia da Vila Mariana:
    Rua Domingos de Moraes, 2187 - cj. 223 - Edifício Xangai
    Vila Mariana – São Paulo/SP - CEP 04035-000

    CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
    (11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 8h às 20h)

    HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
    De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h


    ESTACIONAMENTOS : NOVOS CONVÊNIOS


    CONTATOS

    Regionais do Cremesp:

    Conselhos de Medicina:


    © 2001-2019 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 490 usuários on-line - 2056
    Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior