Busca
Classificação de assuntos:

Pesquisa por palavra-chave:


Últimas Notícias
  • 17-05-2024
    Pré-eclâmpsia
    Área Técnica da Mulher e Comitê de Mortalidade Materna promovem evento online 
  • 17-05-2024
    Prescrição médica
    Anvisa aprova normativa para controle mais severo de medicamentos como o zolpidem e zopiclona
  • 17-05-2024
    Controle epidemiológico
    Cremesp defende reinserção à OMS de Taiwan, considerada área de alto risco de coronavírus
  • 15-05-2024
    Força-tarefa RS
    Cremesp apoia ação humanitária de profissionais da saúde às vítimas das enchentes
  • Notícias


    17-04-2016

    Microcefalia

    CDC confirma relação do vírus Zika e casos de má formação cerebral em bebês

     

    O Centro de Controle e Prevenção de Doenças Transmissíveis (CDC) dos Estados Unidos anunciou, nesta quarta-feira (13), a confirmação da relação entre o Zika e a ocorrência de microcefalia em bebês cujas mães foram infectadas pelo vírus. O estudo realizou uma revisão rigorosa das evidências já existentes e concluiu que o Zika é a causa da microcefalia e de outros danos cerebrais identificados em fetos. 

     

    A relação entre o Zika e a microcefalia já havia sido reconhecida e anunciada pelo governo brasileiro em novembro de 2015, quando o vírus foi identificado em amostras de sangue e tecidos de um bebê com microcefalia, e também no líquido amniótico de duas gestantes. Desde então, diversas outras evidências foram encontradas, como vermelhidão na pele durante o primeiro trimestre da gravidez – que é um dos sintomas da contaminação pelo Zika - em grande parte das mulheres que tiveram bebês com microcefalia nos Estados da Bahia, Paraíba e Pernambuco. 

    Foram analisadas pesquisas da comunidade médica e científica de diversos países, entre eles o Brasil, que é pioneiro no estudo do vírus Zika associado à microcefalia. O CDC é parceiro do Brasil nas investigações, como parte do esforço mundial para as descobertas relacionadas ao tema.  

    O estudo afirma, assim como já havia sido explicado pelo Ministério da Saúde, que apesar de a relação estar confirmada, não significa que toda mulher que for infectada pelo vírus durante a gravidez dará à luz um bebê com microcefalia. “Observou-se, durante a epidemia de Zika, que algumas mulheres infectadas tiveram bebês saudáveis”, conclui o CDC. 

    A Organização Mundial da Saúde (OMS) já havia declarado, publicamente, que eram fortes as evidências da associação entre o Zika e a microcefalia. Segundo a diretora da OMS, Margaret Chan, “desde a primeira reunião do comitê de emergência sobre o Zika, em 1º de fevereiro deste ano, novas pesquisas clínicas e epidemiológicas reforçaram substancialmente a associação entre o Zika e a ocorrência de malformações fetais e doenças neurológicas”. 


    Fonte: Ministério da Saúde


    VEJA TAMBÉM:

    CDC Concludes Zika Causes Microcephaly and Other Birth Defects

     

    Tags: zikamicrocefaliaconfirmaçãocasosCDCmalformação fetal.

    Veja os comentários desta matéria


    Sou ultrassonografista e realizo US de mais de 1.000 gestantes /mês. Desde setembro de 2015 estou atento a esse diagnóstico. Até agora só tive 1 caso de uma gestante que teve zica com 13 semanas e no US morfológico, com 23 semanas, apareceu dilatação dos ventrículos laterais, ainda sem microcefalia. Trabalho no interior de São Paulo e não estou encontrando a mesma proporção de microcefalia que está ocorrendo no Nordeste!
    George Luís Scarafiz

    Deixe o seu comentário

        Dê sua opinião sobre a matéria acima em até mil caracteres. Não serão publicados  textos ofensivos a pessoas ou instituições, que configurem crime, apresentem conteúdo obsceno, sejam de origem duvidosa, tenham finalidade comercial ou sugiram links, entre outros.  Os textos serão submetidos à aprovação antes da publicação, respeitando-se a jornada de trabalho da comissão de avaliação (horário de funcionamento do Cremesp, de segunda à sexta-feira, das 9 às 18 horas). O Cremesp reserva-se o direito de editar os comentários para correção ortográfica.  Os  usuários deste site estão sujeitos à política de uso do Portal do Cremesp e se comprometem a respeitar o seu Código de Conduta On-line.

    De acordo.


    Este conteúdo teve 161 acessos.


    CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
    CNPJ: 63.106.843/0001-97

    Sede: Rua Frei Caneca, 1282
    Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

    CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
    (11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 8h às 20h)

    HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
    De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h

    CONTATOS

    Regionais do Cremesp:

    Conselhos de Medicina:


    © 2001-2024 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 385 usuários on-line - 161
    Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior

    O CREMESP utiliza cookies, armazenados apenas em caráter temporário, a fim de obter estatísticas para aprimorar a experiência do usuário. A navegação no site implica concordância com esse procedimento, em linha com a Política de Cookies do CREMESP. Saiba mais em nossa Política de Privacidade e Proteção de Dados.