Busca
Classificação de assuntos:

Pesquisa por palavra-chave:


Últimas Notícias
  • 20-07-2024
    Movimento do Ato Médico
    Cremesp vence ação civil promovida contra clínica farmacêutica que realizava procedimentos estéticos
  • 19-07-2024
    Evento
    Cremesp realiza entrega de carteiras e honrarias a médicos em São José do Rio Preto
  • 18-07-2024
    Defesa da população
    Cremesp oficia MP e Polícia Civil sobre anúncios divulgados nas redes sociais com atores que se passam por médicos para venda de medicamentos
  • 17-07-2024
    Evento inédito
    Cremesp realizará 1º Simpósio de Acupuntura, que discutirá as patologias tratadas pela especialidade e as novas perspectivas de tratamento
  • Notícias


    11-04-2016

    Saúde suplementar

    Médicos paulistas pleiteiam 20,54% de reajuste de seus honorários aos planos de saúde

     

    As entidades médicas paulistas estão pleiteando reajuste de 20,54% às operadoras de planos de saúde em relação aos honorários de consultas e procedimentos. A pauta de reivindicações proposta pelas entidades médicas aos planos de saúde foi aprovada por médicos de várias regiões do Estado de São Paulo, no dia 22 de fevereiro deste ano.

    Em reunião realizada no Sindicato dos Médicos de São Paulo (Simesp), Marun David Cury, diretor adjunto de defesa profissional da Associação Paulista de Medicina (APM), explicou que esse percentual se baseia na reposição da inflação do último ano e na recomposição de perdas acumuladas desde 1996.

    Segundo o Simesp, além da pauta de reivindicações, os profissionais presentes também autorizaram que as entidades médicas negociem e, caso haja um acordo, celebrem contratos coletivos com as operadoras de planos de saúde ou suas entidades representativas.

    Renato Azevedo Junior, conselheiro e diretor 1° secretário do Cremesp, destacou que a crise financeira que atinge o País não tem afetado as operadoras e, por essa razão, os médicos que prestam serviços a elas também não devem ser afetados. Ele lembra que os índices autorizados pela ANS para os planos de saúde sempre ficam bem acima dos reajustes de consultas e procedimentos pagos aos médicos.

     


    Cartilha do CFM e AMB orienta sobre contratualização

    Contratos dos profissionais médicos com planos de saúde devem contemplar cláusula de livre negociação entre as partes, de acordo com a cartilha de orientações disponibilizada aos médicos pelo Conselho Federal de Medicina (CFM) e a Associação Médica Brasileira (AMB). O documento reforça detalhes previstos na Lei 13.003/2014, apresentando os requisitos mínimos para a contratu­a­lização com operadoras de planos de saúde.

    Segundo a lei, o não cumprimento das obrigações prevê penalidades para o prestador de serviços e para a operadora de planos de saúde. “É importante que os médicos estejam atentos às regras que garantem direitos antes usurpados desses profissionais, e não aceitem, nem assinem, contratos que não estejam totalmente de acordo com a nova legislação”, afirma Carlos Michaelis Júnior, coordenador jurídico da AMB.

    Nos sites oficiais das entidades médicas – www.portal.cfm.org.br e www.amb.org.br – os profissionais têm acesso à cartilha elucidativa, com as regras para fechar contratos com planos de saúde e a outros detalhes previstos na Lei 13.003/2014. Em vigor desde o final de 2015, a lei estabeleceu a obrigatoriedade de contratos por escrito e detalhados, com as responsabilidades específicas:

    • A forma de reajuste dos serviços contratados deve ser expressa no contrato de modo claro e objetivo e a empresa não deve propor fracionamento de qualquer índice, reitera o documento. As entidades médicas reforçam que o índice regulamentado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) é o IPCA cheio, que corresponde ao valor acumulado nos 12 meses anteriores à data do aniversário do contrato. Esse índice deverá ser adotado de forma integral;
    • Os prazos e os procedimentos para faturamento e pagamento dos serviços prestados também devem ser esclarecidos no contrato;
    • A cláusula de livre negociação entre as partes tem de ser mantida para a segurança dos envolvidos. Pois, sempre que o equilíbrio econômico e financeiro do contrato estiver ameaçado, a qualquer tempo, mediante acordo entre as partes, poderá ser formalizado termo aditivo de reajuste.

    Os contratos que não atendam às diretrizes recomendadas pelas entidades representativas poderão ser comunicados diretamente à AMB, pelo email cbhpm@amb.org.br . E os indícios de infração ética por parte da operadora ou do prestador de serviços devem ser encaminhados ao Cremesp.

    Tags: saúde suplementarplanos de saúdecontratualizaçãoreivindicaçõesinflaçãooperadorasreajuste.

    ESTA MATÉRIA AINDA NÃO FOI COMENTADA:

    Deixe o seu comentário

        Dê sua opinião sobre a matéria acima em até mil caracteres. Não serão publicados  textos ofensivos a pessoas ou instituições, que configurem crime, apresentem conteúdo obsceno, sejam de origem duvidosa, tenham finalidade comercial ou sugiram links, entre outros.  Os textos serão submetidos à aprovação antes da publicação, respeitando-se a jornada de trabalho da comissão de avaliação (horário de funcionamento do Cremesp, de segunda à sexta-feira, das 9 às 18 horas). O Cremesp reserva-se o direito de editar os comentários para correção ortográfica.  Os  usuários deste site estão sujeitos à política de uso do Portal do Cremesp e se comprometem a respeitar o seu Código de Conduta On-line.

    De acordo.


    Este conteúdo teve 384 acessos.


    CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
    CNPJ: 63.106.843/0001-97

    Sede: Rua Frei Caneca, 1282
    Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

    CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO

    Imagem
    (11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 8h às 20h)

    HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
    De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h

    CONTATOS

    Regionais do Cremesp:

    Conselhos de Medicina:


    © 2001-2024 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 592 usuários on-line - 384
    Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior

    O CREMESP utiliza cookies, armazenados apenas em caráter temporário, a fim de obter estatísticas para aprimorar a experiência do usuário. A navegação no site implica concordância com esse procedimento, em linha com a Política de Cookies do CREMESP. Saiba mais em nossa Política de Privacidade e Proteção de Dados.