Busca
Classificação de assuntos:

Pesquisa por palavra-chave:


Últimas Notícias
  • 25-09-2020
    Comunicado
    Cremesp interdita médico denunciado por abuso sexual em São Paulo
  • 24-09-2020
    Nota de falecimento
    Cremesp comunica falecimento de funcionário que contribuiu com a gestão do Cremesp nos últimos 40 anos
  • 23-09-2020
    Covid-19
    Após live do Cremesp, SPSP publica documento com orientações para retorno às aulas
  • 23-09-2020
    Ação judicial
    Cremesp solicita afastamento de advogada da Comissão de Direito Médico, após publicações de ataque à classe médica
  • Notícias


    28-03-2016

    Aizenaque Grimaldi

    Humanização das condições de trabalho


    Recentemente acompanhei um colega médico a um hospital na cidade de São Paulo. Tivemos rapidez na recepção, acolhimento cuidadoso pela enfermagem e atendimento médico atencioso, minucioso, com extremo respeito ao paciente, que não havia se identificado como médico. Ou seja, naquele momento difícil, aquele paciente teve um acolhimento e um atendimento humanizados, que muito contribuíram para a resolução do seu quadro. Refletindo sobre o que havia ocorrido e os resultados, obviamente concluí que tudo aconteceu porque a infraestrutura e as condições de trabalho proporcionaram que tudo se encaminhasse para esse resultado.

    Quando discutimos a importância do acolhimento e da humanização no atendimento médico, tema extremamente atual e com repercussões diretas sobre a efetividade do tratamento, fatalmente nos questionamos: e com relação à humanização das condições de trabalho dos médicos? Quem se preocupa?

    O que vemos frequentemente são médicos contratados por remuneração aviltante, obrigados, por vezes, a atender uma consulta a cada (pasmem) cinco minutos, sem recursos terapêuticos suficientes, com sobrecarga de trabalho por falta de profissionais, atraso dos salários, com a terceirização dos serviços de saúde. Originalmente esses serviços eram públicos, sendo um dos grandes problemas atuais, nos quais os médicos, antes admitidos por concurso público, agora passam a ser contratados sem qualquer garantia, em número insuficiente e submetidos a jornadas extenuantes de trabalho. Essas condições colocam em risco até mesmo sua integridade física, o que certamente poderá comprometer a qualidade do seu trabalho.

    Dúvidas nos vêm à mente: a quem interessa a terceirização dos serviços de saúde? A quem interessa o sucateamento dos serviços de saúde? Como proporcionar e manter adequadas condições de trabalho (humanizadas) aos médicos? São temas que devem nos incomodar constantemente, para que possamos pensar sobre quais são as condições de trabalho que queremos, como deve ser nossa atuação como médicos na busca de uma Medicina humanizada (tanto para os médicos quanto para os pacientes) e, principalmente, o que podemos fazer para promover as mudanças necessárias.

    Cabe-nos essa reflexão!

     

    Aizenaque Grimaldi de Carvalho é Coordenador das Delegacias Metropolitanas do Cremesp

    Tags: serviçossaúdeterceirizaçãotrabalho.

    ESTA MATÉRIA AINDA NÃO FOI COMENTADA:

    Deixe o seu comentário

        Dê sua opinião sobre a matéria acima em até mil caracteres. Não serão publicados  textos ofensivos a pessoas ou instituições, que configurem crime, apresentem conteúdo obsceno, sejam de origem duvidosa, tenham finalidade comercial ou sugiram links, entre outros.  Os textos serão submetidos à aprovação antes da publicação, respeitando-se a jornada de trabalho da comissão de avaliação (horário de funcionamento do Cremesp, de segunda à sexta-feira, das 9 às 18 horas). O Cremesp reserva-se o direito de editar os comentários para correção ortográfica.  Os  usuários deste site estão sujeitos à política de uso do Portal do Cremesp e se comprometem a respeitar o seu Código de Conduta On-line.

    De acordo.


    Este conteúdo teve 292 acessos.


    CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
    CNPJ: 63.106.843/0001-97

    Sede: Rua Frei Caneca, 1282
    Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

    CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
    (11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 8h às 20h)

    HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
    De segunda a sexta-feira, das 8h às 20h


    ESTACIONAMENTOS : NOVOS CONVÊNIOS


    CONTATOS

    Regionais do Cremesp:

    Conselhos de Medicina:


    © 2001-2020 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 328 usuários on-line - 292
    Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior