Busca
Classificação de assuntos:

Pesquisa por palavra-chave:


Últimas Notícias
  • 17-07-2024
    Evento inédito
    Cremesp realizará 1º Simpósio de Acupuntura, que discutirá as patologias tratadas pela especialidade e as novas perspectivas de tratamento
  • 15-07-2024
    Conversa com Cremesp
    Cremesp realiza encontro com estudantes da Santa Casa de São Paulo e debate questões éticas da Medicina
  • 14-07-2024
    Julho verde
    Cremesp ilumina fachada da sede pelos 10 anos da campanha de prevenção ao câncer de cabeça e pescoço
  • 09-07-2024
    MEETING TRIBUTÁRIO MÉDICO
    Evento inédito discutirá incentivos fiscais e Reforma Tributária para médicos
  • Notícias


    11-08-2013

    Congresso Nacional

    Delegações de entidades pedem a derrubada de vetos à Lei do Ato Médico aos parlamentares

    Em uma sessão conjunta no Congresso Nacional, prevista para a noite desta terça-feira, 20 de agosto, deputados e senadores devem analisar e votar, os 10 vetos da presidente Dilma Rousseff  à Lei 12.842/2013, que regulamenta a atividade médica no país.  Delegações com representantes de entidades médicas, dentre elas o Cremesp, organizaram uma grande caravana ao Congresso para pedir a derrubada dos vetos à regulamentação, que ficou conhecida como Lei do Ato Médico.

    Desde às 10 horas da manhã desta terça, as delegações de médicos começaram a procurar  deputados e senadores de suas respectivas regiões para apresentar  uma cartilha (disponível abaixo) que esclarece os parlamentares sobre questões que justificam a derrubada dos vetos.

    Após tramitar por quase 12 anos no Congresso e passar por 27 audiências públicas, a lei foi aprovada por unanimidade no Senado e Câmara dos Deputados, mas voltou ao Legislativo em razão dos vetos parciais da presidência.

    Entre os pontos mais polêmicos está o veto ao inciso I do caput e ao § 2º do art. 4º, que estabelece o diagnóstico de doenças e a prescrição de medicamentos como atividade privativa dos médicos. A retirada dessas prerrogativas dos profissionais da medicina poderá ter graves consequências à população que necessita de assistência médica.

    Relatório do Senado contesta vetos

    A assessoria do Senado também produziu nota técnica que contesta a maior parte dos vetos à lei. O parecer, que circula entre parlamentares, resultou de análise solicitada pela senadora Lúcia Vânia (PSDB-GO), que integra a Comissão Mista encarregada de fazer um relatório com base na decisão do Palácio do Planalto. O documento reforça os argumentos da categoria médica.


    Corpo a corpo com parlamentares

    Representantes de entidades médicas continuavam no Congresso, às 19:30 desta terça-feira, defendendo a derrubada dos vetos da presidente Dilma Rousseff à lei do Ato Médico.  O governo apresentou ao Congresso um projeto de lei, em regime de urgência, que mantém a exclusividade do diagnóstico e do tratamento de doenças aos profissionais da Medicina, porém, ressalvados os atendimentos que já fazem parte dos protocolos do SUS.  Após o anúncio da nova proposta, o presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM), Roberto Luiz d´Avila, declarou à imprensa que a categoria iria manter a sua posição pela derrubada dos vetos, de forma a garantir tratamento qualificado à população.

    Até o fechamento desta notícia, às 20 horas de 20/08, a Lei do Ato Médico ainda não havia sido votada no Congresso.  A votação é secreta e feita por meio de cédula única a ser preenchida por cada parlamentar, que vai dizer se aceita, ou não, o veto da presidente. Para derrubar o veto, é necessário o apoio de 257 deputados e de 41 senadores.

    Importação de médicos

    Na mesma ocasião, as delegações de médicos  também tinham programado  de argumentar, junto aos parlamentares, sobre os malefícios à saúde da Medida Provisória 621 (Programa Mais Médicos), editada pelo Governo Federal. A MP permite a contratação de médicos estrangeiros sem o processo de revalidação de diplomas, obrigatório no país, entre outras distorções. A vinda de médicos, sem a mínima comprovação de competências e habilidades exigidas pela profissão, mais uma vez, coloca a população assistida em risco.     

    As entidades médicas prepararam uma cartilha (disponível abaixo) que esclarece sobre os verdadeiros responsáveis pelo sucateamento do SUS. O governo federal atribui à falta de médicos no país a precariedade no atendimento em periferias de grandes cidades e regiões remotas. Mas o caos em que se transformou a área da saúde é consequência da falta de investimento, má gestão de recursos e ausência de políticas eficazes, entre outros.

    As duas medidas do governo - MP 621/13 e vetos à Lei do Ato Médico - prejudicam a população e os médicos. Para isso, é importante a mobilização de todos junto a deputados e senadores de seus Estados. Entre em contato com eles e demonstre sua indignação com o momento atual.  Acesse formulário e envie, automaticamente, uma carta aos parlamentares sensibilizando-os sobre as medidas do governo federal.

    Para ver a relação completa de emails dos parlamentares, clique AQUI!

     

    Acesse também:

    Cartilha sobre o Ato Médico

    Cartilha sobre a Medida Provisória 621

     

    Tags: CaravanasaúdeBrasílialeiatomédicoCongressoparlamentares.

    Veja os comentários desta matéria


    A vida da população brasileira está em suas mãos.
    KASSYO LEONARDO
    Brasil, por uma medicina de qualidade.
    EDUARDO ENEAS DOREA COELHO

    Deixe o seu comentário

        Dê sua opinião sobre a matéria acima em até mil caracteres. Não serão publicados  textos ofensivos a pessoas ou instituições, que configurem crime, apresentem conteúdo obsceno, sejam de origem duvidosa, tenham finalidade comercial ou sugiram links, entre outros.  Os textos serão submetidos à aprovação antes da publicação, respeitando-se a jornada de trabalho da comissão de avaliação (horário de funcionamento do Cremesp, de segunda à sexta-feira, das 9 às 18 horas). O Cremesp reserva-se o direito de editar os comentários para correção ortográfica.  Os  usuários deste site estão sujeitos à política de uso do Portal do Cremesp e se comprometem a respeitar o seu Código de Conduta On-line.

    De acordo.


    Este conteúdo teve 242 acessos.


    CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
    CNPJ: 63.106.843/0001-97

    Sede: Rua Frei Caneca, 1282
    Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

    CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO

    Imagem
    (11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 8h às 20h)

    HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
    De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h

    CONTATOS

    Regionais do Cremesp:

    Conselhos de Medicina:


    © 2001-2024 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 735 usuários on-line - 242
    Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior

    O CREMESP utiliza cookies, armazenados apenas em caráter temporário, a fim de obter estatísticas para aprimorar a experiência do usuário. A navegação no site implica concordância com esse procedimento, em linha com a Política de Cookies do CREMESP. Saiba mais em nossa Política de Privacidade e Proteção de Dados.