PESQUISA  
 
Nesta Edição
Todas as edições


CAPA

EDITORIAL (JC pág. 2)
O PCCS da Prefeitura de São Paulo, por Henrique Carlos Gonçalves, presidente do Cremesp


ENTREVISTA (JC pág. 3)
Prêmio Nobel de Medicina e Fisiologia de 2007, o geneticista Oliver Smithies, fala sobre células-tronco


ATIVIDADES 1 (JC pág. 4)
Módulos de Atualização Médica do Cremesp: público recorde confirma importância da iniciativa


ATIVIDADES 2 (JC pág. 5)
Homenagem a médicos com 50 anos de dedicação integral à Medicina chega ao interior


ATIVIDADES 3 (JC págs. 6 e 7)
Cremesp lidera Ato Público pela aprovação do PL-2733, que restringe a propaganda de cerveja na TV


ESPECIAL
Aprovação do PCCS vem de encontro às reportagens especiais do Cremesp sobre salários dos médicos no município


GERAL 1 (JC pág. 10)
Em Opinião de Conselheiro, José Henrique Vila aborda o transplante cardíaco


GERAL 2 (JC pág. 11)
Vida de Médico: conheça porquê um ortopedista de Ribeirão Preto é destaque desta edição


IND. FARMACÊUTICA (JC pág. 12)
Na série Medicina & Indústria Farmacêutica, em foco a propaganda de medicamentos e o ensino médico


GERAL 3 (JC pág. 13)
Na coluna dos conselheiros do CFM, o periódico Bioética e a linguagem médica são temas de Clóvis Constantino e Isac Jorge, respectivamente


ALERTA ÉTICO (JC pág. 14)
Tire suas dúvidas sobre questões que envolvem dependência química e consumo de drogas ilícitas


GERAL 4 (JC pág. 15)
Reuniões do Clube do Fígado seguem com sucesso todas as primeiras terças-feiras do mês


HOMENAGEM (JC pág. 16)
Homenagens pelo Dia da Mulher lembram médicas de ascendência japonesa que atuam no Estado


GALERIA DE FOTOS



Edição 247 - 04/2008

GERAL 3 (JC pág. 13)

Na coluna dos conselheiros do CFM, o periódico Bioética e a linguagem médica são temas de Clóvis Constantino e Isac Jorge, respectivamente


Coluna dos conselheiros do CFM*



Clóvis Francisco Constantino

e-mail:
biblioteca@cfm.org.br



Bioética
: o periódico científico do CFM

A revista Bioética, publicada pelo Conselho Federal de Medicina desde 1992, foi o periódico científico pioneiro nesse campo de estudo e pesquisa no Brasil. A presença de reconhecidos bioeticistas brasileiros – alguns dos quais ainda integrantes do Conselho Editorial – fez com que a revista passasse a ser indexada na base de dados Lilacs, importante referência em pesquisa na área da saúde, e receber classificação “B” nacional em diversas áreas do conhecimento.

As centenas de artigos publicados durante os seus 15 anos de existência atestam as transformações ocorridas, refletindo o surgimento das preocupações relativas à ética social em bioética e o aprofundamento dessas questões nas práticas de saúde. Congregando colaborações de autores de diversas instituições, profissões e regiões do país e do exterior, Bioética reflete a pluralidade do pensamento que caracteriza o campo na atualidade.

E é exatamente para abraçar o desafio de produzir uma reflexão que ofereça respostas efetivas aos conflitos e questionamentos sobre a ética em saúde, que  Bioética inicia nova etapa de trabalho, com aumento da periodicidade –  trimestral a partir de 2008 – e do número de artigos, que passa 11 para 15, perfazendo 60 trabalhos publicados anualmente.

A submissão de todos os artigos recebidos ao exame do Conselho Editorial permanecerá como norma inviolável, para garantir aos autores e à comunidade científica a qualidade do material publicado. Também será mantida a tiragem de dez mil exemplares.

Como editor de Bioética, convido todos os médicos do Estado de São Paulo a enviarem seus artigos para o endereço eletrônico: bioetica@cfm.org.br 

Tenho certeza de que esse esforço conjunto vai ampliar ainda mais a discussão sobre a ética em saúde, por meio de uma publicação que é, reconhecidamente, em seu campo de saber, de grande influência no país e em toda a América Latina.



Isac Jorge Filho

e-mail: ijfilho@terra.com.br


Nova linguagem médica?

Aumenta cada vez mais a utilização de siglas e abreviaturas em relatórios, prescrições e outros documentos médicos. Recentemente um colega teve problemas com uma declaração de óbito que emitiu e que foi recusada pela autoridade competente. O motivo? O óbito foi atribuído a IMOS, decorrente de ITU. A autoridade alegou que não era obrigada a conhecer códigos e siglas de médicos e devolveu o documento dando ao médico prazo urgente para “traduzir” o documento, sob as penas da lei.

Lamentavelmente isso tem ocorrido nos mais diferentes tipos de documentos. E tome GECA, ITU, HP e tantas outras siglas e abreviaturas. No ritmo que vai, logo deverá sair um dicionário, já que nem os próprios médicos entendem as siglas e abreviaturas de áreas que não sejam a sua especialidade. Na verdade trata-se de mais uma das muitas interferências dos textos norte-americanos sobre o modo de se expressar entre os médicos no Brasil. Daí, por exemplo, usar o termo “severo” como sinônimo de grave, a partir do “severe” do norte-americano, desafiando todos os dicionários brasileiros.

No caso das siglas a imitação é mais grosseira e ineficaz porque os textos em inglês, como regra, publicam o que significa a sigla em sua primeira citação. Aqui não. O leitor é “obrigado” a saber que GECA significa “gastroenterocolite aguda”.

É bom lembrar que o Código de Ética prevê essa distorção em seu artigo 39: É vedado ao médico - “Receitar ou atestar de forma secreta ou ilegível, assim como assinar em branco folhas de receituários, laudos, atestados ou quaisquer outros documentos médicos”.

Cabe aqui um apelo aos colegas para que procurem evitar os excessos no uso de siglas e abreviaturas, já que estas podem, ao não serem reconhecidas ou confundidas, prejudicar pacientes, instituições e o próprio médico.

*Clóvis Francisco Constantino (titular) e Isac Jorge Filho (suplente) são representantes de São Paulo no Conselho Federal de Medicina.


Atividades da presidência

Além das atividades internas do Conselho, Henrique Carlos Gonçalves, na condição de presidente do Cremesp, participou dos seguintes eventos:


HU da USP inaugura unidade para saúde do adulto


Paulo Andrade Lotufo, Isabela Judith Benseñor, Suely Vilela e Henrique Carlos Gonçalves

O Elsa é considerado a maior pesquisa brasileira para investigar as causas das doenças cardiovasculares e do diabetes. Financiado pela Secretaria de Ciência e Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde (com recursos da Finep e do Ministério de Ciência e Tecnologia), o projeto conta com a participação de outras instituições: Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e as universidades federais da Bahia (UFBA), de Minas Gerais (UFMG), do Espírito Santo (Ufes) e do Rio Grande do Sul (UFRGS).

Santa Casa e o portal Capes


Osmar, José Cândido, Ernani, Jorge e Henrique Carlos

A convite do presidente da Comissão de Pós-graduação da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo – Fundação Arnaldo Vieira de Carvalho, Osmar Avanzi, o presidente do Cremesp, Henrique Carlos Gonçalves, esteve presente à solenidade oficial da assinatura do termo de compromisso do portal Capes entre aquela instituição de ensino médico e a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).

Realizada em 27 de março, a cerimônia contou também com a presença do presidente da Capes, Jorge Almeida Guimarães; do diretor de Programas da Capes, Emídio Cantidio de Oliveira Filho; do diretor da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, Ernani Geraldo Rolim; e do presidente da Fundação Arnaldo Vieira de Carvalho, José Cândido de Freitas Junior.

Residentes assistem palestra

Henrique Carlos Gonçalves ministrou palestra sobre Ética e Bioética aos médicos residentes do Hospital Municipal Maternidade Vila Nova Cachoeirinha (Escola Dr. Mário de Morais Altenfelder Silva). O encontro, ocorrido em 14 de março, demonstrou a disponibilidade e o interesse do Conselho em estreitar as relações com os médicos recém-graduados, através da abordagem de vários temas de interesse da classe, discutidos de maneira objetiva e informal.

Outras atividades

- Participou, em 25 de fevereiro, da visita à Academia de Polícia Civil, em São Paulo;
- Esteve presente, no dia 29 de fevereiro, na abertura da aula inaugural do curso de Capacitação em Perícia Médica Administrativa, na sede do Cremesp;
- Proferiu palestra, no dia 8 de março, durante o curso de Educação Continuada em Santos;
- Prestigiou, no dia 10 de março, o lançamento da chapa para a próxima eleição do Simesp, em São Paulo;
- Ministrou palestra aos alunos da Faculdade de Medicina de Botucatu, no dia 13 de março, com o tema Direitos e Deveres do Médico;
- Participou, no dia 14 de março, da homenagem aos médicos de Piracicaba com mais de 50 anos de formados;
- Compareceu, no dia 19 de março, a uma reunião na Assembléia Legislativa que debateu a crise no Iamspe;
- Esteve presente no Encontro Nacional dos CRMs em Curitiba, nos dias 5 e 7 de março.

Foi inaugurada, em 27 de março, a base operacional do Estudo Longitudinal da Saúde do Adulto – Elsa, cuja sede em São Paulo está localizada no 4º andar do Hospital Universitário (HU) da USP. O presidente do Cremesp, Henrique Carlos Gonçalves, participou da cerimônia de inauguração a convite do superintendente do Hospital Universitário da Fmusp, Paulo Andrade Lotufo, responsável pelo projeto. Também estiveram presentes a reitora da USP, Suely Vilela; professores daquela universidade e autoridades convidadas.


Este conteúdo teve 1707 acessos.


CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
CNPJ: 63.106.843/0001-97

Sede: Rua Frei Caneca, 1282
Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

Delegacia da Vila Mariana:
Rua Domingos de Moraes, 2187 - cj. 223 - Edifício Xangai
Vila Mariana – São Paulo/SP - CEP 04035-000

CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
(11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 9h às 20h)

HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h


ESTACIONAMENTOS : NOVOS CONVÊNIOS


CONTATOS

Regionais do Cremesp:

Conselhos de Medicina:


© 2001-2019 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 495 usuários on-line - 1707
Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior