PESQUISA  
 
Nesta Edição
Todas as edições


CAPA

EDITORIAL
A paz construída na luta


ENTREVISTA
André Luiz Lopes dos Santos fala sobre os problemas do setor de saúde suplementar


POLÍTICA DE SAÚDE 1
Destaque para a proibição da propaganda de medicamentos em drogarias


POLÍTICA DE SAÚDE 2
Destaque para o descumprimento da Emenda Constitucional da Saúde


CLASSE MÉDICA EM MOVIMENTO 1
CBHPM: entidades médicas solicitam apoio do Governo Federal


CLASSE MÉDICA EM MOVIMENTO 2
CBHPM: atualize-se sobre a mobilização nacional pelo reajuste de honorários e pelo atendimento de qualidade para a população


DEBATE
Ato Médico


GERAL
Confira fatos de interesse da classe que ocorreram neste mês de agosto


AGENDA
Eventos que contaram com a participação do Cremesp


NOTAS
Alerta Ético


PARECER
A indenização por danos morais e materiais


HISTÓRIA
João Pedro Matta


GALERIA DE FOTOS



Edição 204 - 08/2004

EDITORIAL

A paz construída na luta


A paz construída na luta

“Os homens que vivem para os outros, chegarão, um dia, a reconstruir o que os egoístas destruíram” - Martin Luther King


A vida do médico brasileiro não tem sido das mais fáceis nas últimas décadas. Enfrentamos problemas de toda a sorte, tanto no sistema público quanto no privado. Faltam condições adequadas para a assistência no SUS; investe-se muito pouco em saúde no Brasil; operadoras de capital interferem no exercício da Medicina, não disponibilizam boa parte dos avanços científicos, custam muito caro e remuneram mal; a proliferação irresponsável de escolas médicas ainda não foi totalmente vencida; a violência é crescente na periferia das grandes cidades; a profissão carece de regulamentação clara e objetiva e por aí vai. 

Seria o caso de entrar em desespero? A resposta é não. Muito ao contrário. Neste ano, a classe médica vem fazendo a história com as próprias mãos. E essa atitude nos enche de esperança para o porvir de dias melhores.

Os profissionais de Medicina de todo o Brasil merecem parabéns, por exemplo, pela determinação com a qual vêm lutando pela implantação da Classificação Brasileira Hierarquizada de Procedimentos Médicos (CBHPM) na saúde suplementar. O movimento já se expandiu para 19 Estados. São Paulo é um deles. 

Tenho certeza de que essa cruzada resgata a auto-estima de todos os médicos. Afinal, não é fácil ser alvo das pressões de certas empresas, que, todos sabemos, são pesadíssimas. Mas os colegas estão resistindo e, a cada dia que passa, o nosso “basta” ecoa em novas cidades, em novos Estados. O país nos ouve e nos dá razão. A sociedade sabe que brigamos para exercer a Medicina com dignidade e para servi-la da melhor maneira possível, afinal, o direito à saúde é pétreo.

Enfim, paramos de esperar que as soluções caiam do céu e passamos a combater unidos, pela dignidade, pela valoração do nosso trabalho, pela Ética e por condições adequadas para a boa prática da Medicina. A organização dos médicos, a disposição de luta e a unidade entre as entidades representativas, universidades, órgãos de defesa do consumidor, são hoje o saldo vitorioso deste movimento.

Não há preço que pague a satisfação de chegar em casa exausto mas de cabeça erguida, olhar para  a família com a paz interior daqueles que buscam condições melhores para o exercício da profissão e o benefício da sociedade.

O movimento pela CBHPM, do qual São Paulo participa em diversas frentes, na Capital e em tantas outras cidades e regiões, é apenas um dos sinalizadores de que podemos ser vitoriosos sempre, desde que trabalhemos coesos. Atualmente, estamos conseguindo frear a abertura de algumas escolas médicas; o projeto de lei do Ato Médico caminha de forma mais segura no Congresso Nacional e outros avanços surgem no horizonte.

Estou convicto de que 2004 ficará na história por essa tomada de atitude da classe médica. E isso só está sendo possível graças a você  e à sua participação. Colega médico: sua força e sua importância estão sendo identificadas e reconhecidas nos quatro cantos deste bravo país. Em tempos passados era assim; perdemos; agora estamos recuperando. Parabéns!

Clóvis Francisco Constantino
Presidente do Cremesp


Cremesp prepara livro histórico

O Cremesp prepara um livro sobre sua história. Registrar as primeiras discussões para a sua criação até a atualidade e ressaltar a importância da participação do Conselho no cenário da saúde do Estado são alguns dos objetivos desse trabalho. Para compor essa memória, a equipe executora deu início à coleta de informações, depoimentos e imagens. 

O coordenador do grupo, conselheiro José Marques Filho, pede a todos, em especial àqueles que fizeram parte da história da instituição, que colaborem para enriquecer a pesquisa.

Contribuições como empréstimo de fotos ou documentos relacionados ao Cremesp, além de depoimentos, serão recebidos por nossa Biblioteca até 30 de setembro.

Entre em contato com Dinaura pelo telefone (11) 3017.9337 ou fone/fax (11) 3017.9340, das 10 às 19 horas, ou envie um e-mail para historiacremesp@cremesp.org.br


Este conteúdo teve 1102 acessos.


CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
CNPJ: 63.106.843/0001-97

Sede: Rua Frei Caneca, 1282
Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

Delegacia da Vila Mariana:
Rua Domingos de Moraes, 2187 - cj. 223 - Edifício Xangai
Vila Mariana – São Paulo/SP - CEP 04035-000

CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
(11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 8h às 20h)

HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h


ESTACIONAMENTOS : NOVOS CONVÊNIOS


CONTATOS

Regionais do Cremesp:

Conselhos de Medicina:


© 2001-2019 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 293 usuários on-line - 1102
Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior