PESQUISA  
 
Nesta Edição
Todas as edições


CAPA

PÁGINA 3
Editorial


PÁGINA 4 e 5
Ensino médico


PÁGINA 6
Eleição do Cremesp 2018


PÁGINA 7
Entrevista - Rodrigo Serra Pereira


PÁGINAS 8 e 9
Ressonância


PÁGINA 10
Agenda da presidência


PÁGINA 11
Instituição de Saúde - Hospitais da Fundação Padre Albino


PÁGINA 12
Eu, médico


PÁGINA 13
São Paulo


PÁGINA 14
Convocações


PÁGINA 15
Bioética


PÁGINA 16
Saúde pública


GALERIA DE FOTOS



Edição 358 - 05/2018

PÁGINA 16

Saúde pública


Campanha mostra que médico também é vítima do descaso do poder público com a saúde

Em parceria com entidades, Cremesp denuncia negligência do governo que prejudica os profissionais de saúde e a população

Eu também sou vítima!” Este é o mote da campanha promovida pelo Cremesp, Conselho Federal de Medicina (CFM) e Associação dos Médicos Maçons (Amem), que
visa denunciar o descaso do poder público para com a saúde, penalizando o médico, assim como a população brasileira.

O objetivo da campanha é sensibilizar a sociedade de que o médico não é culpado pela precariedade do atendimento à população nas unidades públicas de saúde, e que ela é decorrente do congelamento de investimento por 20 anos e do desmonte do Sistema Único de Saúde (SUS), políticas que têm gerado um aumento significativo de agressões contra os profissionais.

Violência
Por todo o Brasil crescem as ameaças de morte e agressões aos médicos que, além de ter de trabalhar em situações adversas – como a falta de infraestrutura, de materiais e de recursos humanos –, ficam expostos à violência durante a atuação na rede pública.

Com demandas de assistência sempre maiores que a capacidade de atendimento, pacientes revoltados com a demora agridem médicos e enfermeiros, causando
ainda mais problemas e atrasos no serviço de saúde, que geralmente já é precário.

“Os profissionais de saúde que atuam na ponta do sistema sempre são responsabilizados pela falta de atuação dos governos e, equivocadamente, vistos
como culpados pelos problemas”, afirma Lavínio Nilton Camarim, presidente do Cremesp.

“O descaso abrange a falta de financiamento, de plano de carreira e de políticas publicas”, diz Camarim. Esta é uma situação insustentável, que se soma à já frustrante condição de trabalho dos médicos, uma vez que não conseguem leitos ou exames para
os pacientes que chegam à unidade de saúde. “Trabalhar no serviço público traz estresse, angústia e doenças para os médicos; cabe à sociedade organizada cobrar dos seus governantes e representantes legislativos, nas esferas municipal, estadual
e federal, o adequado financiamento do setor, que resulte em assistência digna”.

PL agrava pena por agressão
O aumento da violência contra os profissionais de saúde levou o Cremesp a empenhar-se na aprovação do PL 6749/16. Recentemente aprovado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC) da Câmara dos Deputados, o PL, que
agrava a pena para crimes contra profissionais de saúde, agora segue para votação pelo Plenário (veja matéria na pág. 3).

 

 

 

 

 


Este conteúdo teve 641 acessos.


CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
CNPJ: 63.106.843/0001-97

Sede: Rua Frei Caneca, 1282
Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

Delegacia da Vila Mariana:
Rua Domingos de Moraes, 2187 - cj. 223 - Edifício Xangai
Vila Mariana – São Paulo/SP - CEP 04035-000

CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
(11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 8h às 20h)

HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h


ESTACIONAMENTOS : NOVOS CONVÊNIOS

CONTATOS

Regionais do Cremesp:

Conselhos de Medicina:


© 2001-2018 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 84 usuários on-line - 641
Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior