PESQUISA  
 
Nesta Edição
Todas as edições


CAPA

PÁGINA 3
Editorial


PÁGINA 4
Ensino Médico


PÁGINA 6
Febre amarela


PÁGINA 7
Entrevista | Frida Plavnik


PÁGINA 8
Instituição de saúde


PÁGINA 10
Finanças


PÁGINA 9
Agenda da Presidência


PÁGINA 11
Institucional


PÁGINA 12
Ressonância


PÁGINA 14
Convocações


PÁGINA 15
Bioética


PÁGINA 16
Qualidade de vida


GALERIA DE FOTOS



Edição 355 - 01-02/2018

PÁGINA 11

Institucional


Cremesp conquista sua primeira certificação ISO 9001

Prestação de serviços de qualidade, atendimento eficaz ao público e melhoria
contínua são os principais objetivos

O Sistema de Gestão da Qualidade do Cremesp recebeu, em 30 de janeiro, a
certificação pela norma ISO 9001:2015, concedida pela Fundação Carlos Alberto Vanzolini, após auditoria e avaliação referentes ao atendimento na sede e Delegacia da Vila Mariana para a prestação de serviços de registros profissionais e de empresas. 

O certificado internacional – entregue pelo diretor de certificação da fundação, José Joaquim do Amaral Ferreira – cumpre uma das metas do Programa de Gestão de Qualidade, estabelecido em planejamento estratégico pelo Cremesp. A norma ISO 9001 preconiza como principais objetivos a oferta de serviços de qualidade, o atendimento eficaz ao público, o aumento da satisfação do cliente e a promoção contínua da melhoria dos processos. 


Camarim (ao centro), com Lotfi (esq.) e Ferreira, durante a entrega do certificado

O presidente do Cre­mesp, Lavínio Nilt­on Camarim, destacou o fundamental papel dos funcionários do Conselho nesse desafio. “Parabenizo o empenho e esforço dos colaboradores e gestores para obtermos este resultado. Estamos trabalhando para mais conquistas como esta para todos os setores”, ressaltou Camarim. “Comemoramos hoje apenas o primeiro passo do que será uma tarefa contínua. Agradeço ao time de funcionários, responsável por esta etapa concluída com sucesso. Cada um merece este certificado individualmente”, reforçou o conselheiro Roberto Lotfi Júnior, responsável pela Comissão de Qualidade.


Opinião - Bráulio Luna Filho

Exercício digno da Medicina é um imperativo civilizatório

“Sempre que um médico não pode fazer bem, ele deve ser impedido de fazer mal.”
Hipócrates

A Medicina é uma das maiores realizações do engenho humano. Desde a Mesopotâmia aos tempos modernos, contribui para prevenir, curar e minorar os sofrimentos que nos afligem. Nesse diapasão, vivemos cada vez mais e com saúde! 

Subjacente a esse processo está o desenvolvimento científico e tecnológico dos últimos 50 anos. Mas isso não se transferiria às pessoas sem a participação dos vários profissionais da saúde e de estruturas adequadas.

Outro fator, no entanto, destaca-se na escala da assistência: o médico. Esse profissional sempre usufruiu de reconhecimento social. Esse prestígio era fruto tanto do conhecimento como da qualidade da relação pessoal com os pacientes.

Recentemente, no entanto, o médico tem sido cada vez mais questionado no seu dia a dia. Frequentemente vemos denúncias contra médicos naquilo que é o mister da profissão. O Cremesp tem mais de 3.500 processos em andamento. A maioria das denúncias versa sobre má prática e, nos últimos 15 anos, aumentaram de seis para 16 por dia. Há várias razões para isso – aumento populacional e do número de médicos, consciência social dos indivíduos etc. Mas, inquestionavelmente, a qualidade dos médicos representa fator preponderante. 

Senão, vejamos. Nos últimos 13 anos, o Cremesp realizou exame para egressos de Medicina no Estado. O resultado é esclarecedor! Cerca de 50% não demonstraram conhecimentos mínimos necessários para o exercício profissional.  A diminuição do tempo entre o ano de formatura e a primeira denúncia de erro no Cremesp também aponta para uma conclusão – há um problema grave na qualidade dos cursos de Medicina.  

Há um problema grave na qualidade dos cursos de Medicina

A melhor estratégia pedagógica para formar médico é um tema em discussão no mundo. Não podemos, entretanto, concordar que a população sofra a consequência da má-formação impassivelmente. 

Por isso, o Cremesp tem dialogado com todos os setores responsáveis e implementado várias medidas. Há dois anos, estabelecemos com o Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein um convênio que propicia que recém-formados não aprovados no Exame do Cremesp realizem, gratuitamente, cursos de atualização pela internet. Na mesma direção, em parceria com o Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital Sírio-Libanês e National Board of Medical Examiner dos Estados Unidos, instituição de maior experiência no mundo na área, rea­lizamos em 2017 avaliações em alunos no sexto e décimo semestre do curso médico.

Apoiado na experiência do Exame do Cremesp e em cenário com mais de 300 escolas médicas no País, defendemos um exame obrigatório para egressos de cursos de Medicina. Neste sentido, o Cremesp já iniciou uma campanha em nível nacional. 

O exercício judicioso e digno da Medicina não é uma demanda qualquer, mas um imperativo social e civilizatório. Constitui-se, por conseguinte, em princípio inelutável que o Cremesp defenderá com toda determinação.


*Primeiro secretário do Cremesp 


Este conteúdo teve 1003 acessos.


CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
CNPJ: 63.106.843/0001-97

Sede: Rua Frei Caneca, 1282
Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

Delegacia da Vila Mariana:
Rua Domingos de Moraes, 2187 - cj. 223 - Edifício Xangai
Vila Mariana – São Paulo/SP - CEP 04035-000

CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
(11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 8h às 20h)

HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h


CONTATOS

Regionais do Cremesp:

Conselhos de Medicina:


© 2001-2018 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 210 usuários on-line - 1003
Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior