PESQUISA  
 
Nesta Edição
Todas as edições


CAPA

EDITORIAL (pág. 2)
Lavínio Nilton Camarim - Presidente do Cremesp


ENTREVISTA (pág. 3)
Mauro Hilkner Silva


INSTITUIÇÃO DE SAÚDE (pág. 4)
HC de Ribeirão Preto é referência terciária para 90 municípios da região Nordeste do Estado


REMUNERAÇÃO (pág. 5)
Cremesp já recebeu mais de 100 denúncias envolvendo remuneração médica


SUS (pág. 6)
SES-SP lança manual técnico com informações sobre arboviroses


ATO MÉDICO (pág. 7)
Cremesp aciona Justiça para garantir prerrogativas médicas


CRISE NA SAÚDE (pág. 8, 9 e 10)
Subfinanciamento da Saúde e má gestão levam Conselhos de Medicina a questionar MS


AGENDA DA PRESIDÊNCIA (pág. 11)
Presidente do Cremesp é homenageado pela Santa Casa de Franca


EU,MÉDICO (pág. 12)
Flavio Henrique Nuevo Benez


JOVENS MÉDICOS (pág. 13)
Novas normas para Residência Médica devem vigorar a partir de 2018


EDITAIS (pág. 14)
Convocações


BIOÉTICA (pág. 15)
Escolha de antimicrobianos depende de reflexões éticas dos médicos


GALERIA DE FOTOS



Edição 350 - 08/2017

SUS (pág. 6)

SES-SP lança manual técnico com informações sobre arboviroses


SES-SP lança manual técnico com informações sobre arboviroses

O Centro de Vigilância Epidemiológica (CVE) da Secretaria de Estado da Saúde (SES/SP) lançou, em maio, o manual Todos juntos contra o Aedes: Orientação de atendimento para casos suspeitos de dengue, chikungunya e zika. De maneira didática, o documento reúne diversas informações que auxiliam o profissional de saúde no momento do atendimento, atualizando questões desde a triagem, investigação e diagnósticos até tratamentos e critérios de alta.

As orientações estão disponíveis na home do site do CVE ou no link: https://goo.gl/Xl99KW.

 

Dengue

Para a definição de caso suspeito, o CVE orienta atenção para pacientes com febre, de duração de dois a sete dias, acompanhada de duas ou mais manifestações, como naúsea/vômito, exantema, mialgia, artralgia, cefaleia ou dor retro-orbital, petéquias ou prova do laço positivo ou leucopenia. Durante o diagnóstico, deve-se ter atenção maior para pacientes que vivam ou tenho viajado (nos últimos 14 dias) para área com presença do Aedes aegypti.

Frente a um caso suspeito de dengue, avalie se o paciente apresenta sinais de gravidade, sinais de alarme ou sangramento ou se ele faz parte do grupo especial e, na dúvida, sempre conduza como dengue.

 

Chikungunya

Pacientes com febre maior que 38,5°, acompanhada de artralgia intensa ou artrite aguda não explicada por outras condições e que vivam ou tenham viajado nos últimos 14 dias para área com presença do vetor encaixam-se como caso suspeito. Se houver dúvida, trate como dengue. Todo paciente que apresentar sinais clínicos ou laboratoriais que justifiquem internação em terapia intensiva ou que tenham risco de morte deve ser considerado como portador da forma grave da doença.

 

Zika

O médico deve desconfiar e investigar caso de zika em pacientes com exantema maculopapular pruriginoso, acompanhado de dois ou mais sinais, como febre, hiperemia conjuntival sem secreção e sem prurido, artralgia e edema periarticular. Em caso de gestantes com suspeita de zika, devem­se investigar os aspectos clínicos-epidemiológicos da gestante, bem como laboratoriais.  As gestantes com exantema devem manter seu acompanhamento no pré-natal em rotina.

Dengue, zika e chikungunya são doenças de notificação compulsória, e casos suspeitos devem ser registrados no Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan).

 

O que investigar

 

DENGUE

  • Data de início da febre ou outros sintomas;
  • Presença de sinais de alarme;
  • Sangramento (gengivorragia, epistaxe, metrorragia, hematêmese, melena, prova do laço positivo;
  • Condições clínicas especiais (menos de 2 anos, maiores de 65 anos e gestantes);
  • Comorbidades.*

 

ZIKA

  • Data de início da febre ou outros sintomas;
  • Presença de alterações neurológicas;
  • Pesquisar queixas articulares (mais comuns em chikungunya);
  • Condições clínicas especiais como gestação (investigar uso de medicamentos, álcool ou drogas, data da última menstruação e provável data do parto).

Obs. – Se houver dúvida, trate como dengue.

 

CHIKUNGUNYA

  • Data de início da febre ou outros sintomas;
  • Presença de manifestações atípicas ou sinais de gravidade;
  • Ocorrência de sinais de alarme para dengue:
  • Condições clínicas especiais: menores de 2 anos, neonatos, gestantes, maiores de 65.

 

* Hipertensão arterial ou doenças cardiovasculares graves; diabetes mellitus, doença pulmonar obstrutiva crônica, doenças hematológicas crônicas, doença renal crônica, hepatopatias e doenças autoimunes.


Este conteúdo teve 684 acessos.


CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
CNPJ: 63.106.843/0001-97

Sede - Frei Caneca: Rua Frei Caneca, 1282
Consolação - São Paulo/SP - 01307-002

Subsede - Vila Mariana: Rua Domingos de Moraes, 1810
Vila Mariana – São Paulo/SP - 04010-200

Sede - Consolação: Rua da Consolação, 753
(Sem atendimento ao público)
Centro - São Paulo/SP - 01301-910

CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
(11) 5908-5600 (de segunda a sexta feira, das 8h às 20h)

HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h


ESTACIONAMENTOS : NOVOS CONVÊNIOS

CONTATOS

Regionais do Cremesp:

Conselhos de Medicina:


© 2001-2017 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 132 usuários on-line - 684
Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior