PESQUISA  
 
Nesta Edição
Todas as edições


CAPA

EDITORIAL (pág. 2)
Bráulio Luna Filho - Presidente do Cremesp


ENTREVISTA (pág. 3)
Marcos Boulos


PARTOS (pág. 4)
Boas práticas obstétricas


QUADRO DA SAÚDE (pág. 5)
Plano de Carreira em São Paulo


ÓRTESES E PRÓTESES (pág.6)
Utilização indevida de materiais


SAÚDE PÚBLICA (pág.7)
Crise na Santa Casa


EXAME DO CREMESP (págs. 8 a 9)
Avaliação de recém-formados


POLÍTICA (pág. 10)
Médicos eleitos


NOVA DIRETORIA (pág. 11)
Posse em sessão solene


JOVENS MÉDICOS (pág. 12)
Recomendações ao médico


EU, MÉDICO (pág. 13)
Medicina Superação


ANUIDADE 2015 (pág. 14)
Período de desconto


BIOÉTICA (pág. 15)
Decisões na adolescência


GALERIA DE FOTOS



Edição 322 - 01-02/2015

EU, MÉDICO (pág. 13)

Medicina Superação


 

Médico reúne histórias inspiradoras sobre colegas de profissão

 

Página no Facebook inspira e motiva jovens a superarem dificuldades para ingressar na Medicina


Queiroz: história de superação
 

página de Facebook Medicina Superação foi criada para reunir histórias pessoais de médicos que, assim como seu fundador, superaram muitas barreiras para conseguir realizar sua vocação. Elaborada pelo médico Felipe Queiroz de Paula, residente de Psiquiatria no Instituto Bairral, em 2014, conta com cerca de 3 mil curtidas na rede social. “Quero inspirar, motivar, mostrar que a Medicina pode ser alcançada por qualquer pessoa”, explica ele.

Para o autor e moderador, a página é um instrumento de aproximação. O projeto foi criado quando Queiroz visitava Santa Luzia, na região metropolitana de Belo Horizonte, em Minas Gerais. O município periférico e carente foi onde ele passou grande parte da vida. Ao conversar com pessoas da localidade, percebeu que a ideia de cursar Medicina como algo acessível ainda era muito vaga, quase inexistente, mesmo com seu exemplo.

Queiroz acredita que muitos jovens sequer tentam a profissão devido ao preconceito – ou o medo dele – e por acharem que irão se sentir inferiores aos outros alunos. “Os jovens não sabem que podem. Nesse aspecto, a informação faz toda a diferença, porque o pobre costuma ficar acanhado, tem a autoestima muito baixa”, diz, esperando que a página ajude de alguma forma o estudante da rede pública que não considere a profissão em seu futuro.

 

Superação

O médico teve uma infância humilde, estudou em escola técnica e só decidiu seguir na Medicina três semanas antes de seu primeiro vestibular. “Eu ia fazer Ciências da Computação, porque fiz o curso de Informática e pensei em continuar na área”. Todavia, depois de uma análise de suas habilidades, aproximou-se da Medicina. “Tinha facilidade com a disciplina de Biologia. Então pensei em algo que envolvesse o contato um a um, sem precisar me comunicar com grandes mul­tidões. E tinha o sentimento de poder cuidar das pessoas”, explica. Fez as provas três vezes, até ser aprovado.

Ia para a faculdade a pé, de bicicleta e, às vezes, de carona com os colegas de turma, sem sentir nenhum tipo de exclusão. “Foi uma grata surpresa”, diz ele, que vendia brigadeiro na época para ajudar a se manter. A maioria dos depoimentos de outros médicos mostra o preconceito que existe entre os estudantes da área. 

Independente das especificidades de cada história, o médico acredita que a superação de obstáculos para alcançar a profissão influencia diretamente na atuação junto aos pacientes. “Permite uma sensibilidade maior, principalmente no SUS. Podemos entender o paciente, já que dependemos do sistema, nossa família ainda depende. Há um olhar e uma abordagem diferentes”, declara.

O número de seguidores na rede social não cresce de forma acelerada, mas as manifestações que Queiroz recebe são sempre muito positivas. Ele reúne depoimentos de colegas, os quais procura para ouvir sobre suas vidas, mas também é abordado por outros, no convívio diário, que elogiam o seu trabalho – sem necessariamente compartilhar de histórias parecidas. Reconhecidamente por parte do autor, faltam atualizações mais frequentes no canal, problema que surge com a rotina agitada de um médico residente, com grandes plantões. O fato é que com Médicos Superação, ele consegue uma resposta direta no contato com a população e com os profissionais de saúde. Dessa forma, ele acredita que a página é uma ferramenta válida para cooperar na mudança da imagem estereotipada da classe, considerada elitista por boa parte da sociedade.

 


Canal de comunicação com os jovens vestibulandos

Grande parte do retorno recebido no Medicina Superação é de jovens vestibulandos em Medicina, que se marcam nas publicações e pedem dicas para o criador da página, o médico Felipe Queiroz de Paula. Para os candidatos a futuros médicos, ele recomenda que procurem bons cursinhos populares ou que ofereçam bolsas, usem sites para organizar os estudos e tenham horas de dedicação por dia. Mas lembra que, para muitos alunos do País, que precisam trabalhar e não podem ter o privilégio de se dedicar somente a isso, o ingresso na Universidade é muito mais difícil.

Queiroz comenta que os sistemas de cotas já democratizaram muito o ensino no Brasil, mas ainda há o que fazer. “É uma medida eficaz, mas transitória”, afirma. Ele acredita que, além da falha educacional de responsabilidade do Estado, há uma brecha no mercado. “Os cursinhos são focados nas classes A e B. Não há uma opção para aqueles que têm condições para pagar, mas pouco. Não se oferece qualidade por preço acessível, criando-se uma lacuna.”, considera. Tendo vivido de perto essa necessidade, entre seus planos de longo prazo está um projeto para que alunos de escolas públicas na periferia possam ingressar em um curso preparatório para Medicina.


Este conteúdo teve 1896 acessos.


CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
CNPJ: 63.106.843/0001-97

Sede: Rua Frei Caneca, 1282
Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

Delegacia da Vila Mariana:
Rua Domingos de Moraes, 2187 - cj. 223 - Edifício Xangai
Vila Mariana – São Paulo/SP - CEP 04035-000

CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
(11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 9h às 20h)

HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h


ESTACIONAMENTOS : NOVOS CONVÊNIOS


CONTATOS

Regionais do Cremesp:

Conselhos de Medicina:


© 2001-2019 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 262 usuários on-line - 1896
Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior