PESQUISA  
 
Nesta Edição
Todas as edições


CAPA

EDITORIAL (JC pág.2)
Renato Azevedo Júnior - Presidente do Cremesp


ENTREVISTA (pág. 3)
José Luiz Gomes do Amaral, atual presidente da WMA


ALERTA (pág. 4)
SMS solicita identificação de todo caso suspeito


CREMESP (pág. 5)
Anuidade 2012 - pessoas físicas e jurídicas


PLANO DE CARREIRA (pág. 6)
Reunião avalia questões para delinear a carreira de médico


DEMOGRAFIA MÉDICA (págs. 7, 8, 9)
Levantamento traça perfil dos médicos brasileiros


ENSINO MÉDICO (pág. 10)
Basta!


MEDICINA E JUSTIÇA (pág. 11)
Evento comemorou os 25 anos do Coned


COLUNA DOS CONSELHEIROS DO CFM (Pág. 12)
Pelo ensino médico responsável


EDUCAÇÃO CONTINUADA (pág. 13)
Atualização para o atendimento emergencial de crianças


LEGISLAÇÃO (pág. 14)
Atendimento em situação de desastres


TRISTE FIM DA EC 29 (pág. 16)
Sem dinheiro, propostas para melhorar o SUS serão inviabilizadas


GALERIA DE FOTOS



Edição 288 - 12/2011

ALERTA (pág. 4)

SMS solicita identificação de todo caso suspeito


Sarampo volta ao país e mobiliza vigilância epidemiológica

Todo caso suspeito de sarampo, detectado pelo médico, deve ser notificado à Secretaria Municipal de Saúde para investigação

A circulação endêmica do sarampo está de volta, após mais de dez anos de interrupção do fluxo da doença no país. Desde 2000 foram registrados apenas casos esporádicos, no Brasil e no Estado de São Paulo, relacionados à importação do vírus de locais onde ele continua endêmico. No período de janeiro a novembro de 2011, foram confirmados 22 casos no Estado, com identificação do genótipo D4, prevalente na Europa. Desses, 15 ocorreram em pesssoas não vacinadas, incluindo seis crianças entre seis e 11 meses de idade. Em 2010, foram confirmados 68 casos no país (nenhum no Estado de São Paulo) e, neste ano, foram registradas 38 ocorrências até o final de novembro.

De acordo com Ana Lucia Yu, coordenadora do programa de Vigilância das Doenças Exantemáticas do Centro de Vigilância Epidemiológica (CVE) Professor Alexandre Vranjac, órgão vinculado à Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, “o crescimento do fluxo de viagens internacionais e o fato de haver uma epidemia na Europa em 2011, aumenta a probabilidade de ocorrência de novos casos importados no Brasil”.

Ela afirma que foi implantado um sistema de vigilância para monitorar o comportamento epidemiológico do sarampo em São Paulo visando garantir orientação técnica na investigação e confirmação dos casos, além de adoção de medidas de prevenção e controle em tempo oportuno.

Com essa estratégia, a Secretaria espera interromper a circulação do vírus e a ocorrência de surtos, estabelecendo metas para manter altas coberturas vacinais. A medida de prevenção mais eficaz contra o sarampo é a vacina tríplice viral, que protege também contra rubéola e caxumba.

Sintomas
O primeiro sinal do sarampo é febre alta, com duração de quatro a sete dias, acompanhada de coriza, tosse, olhos avermelhados, fotofobia, pequenas manchas brancas na face interna da bochecha. Após alguns dias, surgem manchas maculopapulares avermelhadas na pele, com início na face e atrás do pescoço, progredindo em direção aos membros inferiores, durando pelo menos três dias, e desaparecendo no mesmo período.

Orientação aos médicos
Ana Lucia orienta os profissionais de saúde a manter sua situação vacinal atualizada, para proteção no ambiente profissional e familiar. Especial atenção deve ser dada aos casos suspeitos de doença exantemática – considerando que possa ser sarampo –, com notificação à Vigilância Epidemiológica para investigação do caso, confirmação laboratorial e deflagração de medidas de controle. Também devem ser observadas medidas de precaução respiratória e isolamento social dos casos suspeitos, além de reforçadas as condições de higiene pessoal e do ambiente.

Notificação
Todo caso suspeito de sarampo deve ser notificado por telefone ou e-mail à Secretaria Municipal de Saúde e/ou à Central de Vigilância/CIEVS/CVE/CCD/SES-SP, pelo telefone 0800 555 466 (plantão 24 horas, todos os dias), e/ou pelo e-mail: notifica@saude.sp.gov.br

Teste do pezinho

Câmara homenageia pioneiro do diagnóstico de fenilcetonúria no país
 

O pediatra Fernando José de Nóbrega, pioneiro da descrição da fenilcetonúria no Brasil, foi homenageado na sede da Câmara Municipal de São Paulo, no dia 28 de novembro. A partir de seus estudos, o diagnóstico precoce da doença passou a ser feito em crianças recém-nascidas, surgindo o “teste do pezinho”, que começou a ser adotado para detectar várias possíveis doenças nos bebês, como hipotireoidismo con¬gênito, anemia falciforme e fibrose cística.

Doença genética caracterizada pelo defeito ou ausência da enzima fenila¬lanina hidroxilase, a fenilcetonúria é autossômica recessiva e afeta aproximadamente um em cada dez mil indivíduos da população caucasiana. A maioria dos pacientes não tratados apresenta um QI inferior a 50.


Constantino (3º, à esq.), Natalini (4º, à dir.) e
vereadores homenageiam Nóbrega (ao centro)

“Qualquer homenagem será pouca pela importância do professor Fernando na Medicina, Pediatria, no ensino médico e em seu compromisso social. Graças a seus estudos, o Brasil pôde tratar a fenilcetonúria que, se não tiver o acompanhamento devido, pode causar doença mental”, afirmou o vereador Gilberto Natalini (PV), que tomou a iniciativa do evento. “É uma satisfação, quando se tem mais de 20 anos de carreira, e eu já tenho um pouco mais que isso, saber que há quem leve a sério o trabalho que a gente realiza”, disse o homenageado. Clóvis Constantino, conselheiro do Cremesp, participou do evento como presidente da Sociedade de Pediatria de São Paulo e representante do presidente do Cremesp, Renato Azevedo Júnior.

Tramita na Câmara dos Deputados o projeto de lei nº 484/11, apresentado pelo Senado, que propõe a realização obrigatória, pelo SUS, do Teste do Pezinho expandido nos recém-nascidos. O exame possibilitaria diagnosticar precocemente mais de 45 tipos de distúrbios metabólicos – entre eles a homocistinúria –, o dobro de doenças detectadas pelo Teste do Pezinho convencional, já oferecido pelo SUS.


Este conteúdo teve 1768 acessos.


CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
CNPJ: 63.106.843/0001-97

Sede: Rua Frei Caneca, 1282
Consolação - São Paulo/SP - CEP 01307-002

Delegacia da Vila Mariana:
Rua Domingos de Moraes, 2187 - cj. 223 - Edifício Xangai
Vila Mariana – São Paulo/SP - CEP 04035-000

CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
(11) 4349-9900 (de segunda a sexta feira, das 9h às 20h)

HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h


ESTACIONAMENTOS : NOVOS CONVÊNIOS


CONTATOS

Regionais do Cremesp:

Conselhos de Medicina:


© 2001-2019 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 490 usuários on-line - 1768
Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior