Busca:

Palavra-chave:

TODOS OS SAÚDE EM PAUTA

ÚLTIMOS SAÚDE EM PAUTA

  • 14-09-2017
    Fibromialgia
    Doença crônica pode ser controlada para melhor qualidade de vida
  • 04-09-2017
    Fibrose cística
    O mês de setembro celebra o Dia Nacional de Conscientização e Divulgação da doença
  • 21-08-2017
    Prevenção
    Saúde amplia vacinação de HPV para homens e mulheres até 26 anos
  • 09-08-2017
    Tabaco
    Hábito de fumar causa seis milhões de mortes em todo o mundo

Saúde em pauta



Sepse


Dia 13 de setembro marca o combate e prevenção à Sepse

O Dia Mundial da Sepse, celebrado em 13 de setembro, tem como objetivo alertar a população e os médicos sobre a importância da prevenção e combate à doença.  Atualmente, a sepse é a doença que mais mata nas Unidades de Terapia Intensiva (UTI) e uma das principais causas de mortalidade hospitalar tardia, superando o infarto do miocárdio e o câncer. Tem alta mortalidade no país, chegando a 65% dos casos, enquanto a média mundial está em torno de 30-40%.

A sepse é um conjunto de manifestações graves em todo o organismo produzidas por uma infecção muitas vezes causadas por bactérias. É também conhecida como infecção generalizada, mesmo que a infecção não esteja em todos os órgãos – pode estar apenas em um, mas o organismo responde com uma inflamação sistêmica diante da infecção.

Essa reação é a forma que o organismo encontra para combater o micro-organismo agressor. O sistema de defesa libera mediadores químicos que espalham a inflamação pelo organismo, o que pode comprometer ou levar a falência múltiplos órgãos, devido a queda da pressão arterial, má oxigenação das células e tecidos e por alterações na coagulação do sangue.

 

A síndrome pode ser classificada em três diferentes níveis:

  • Sepse – a resposta inflamatória provocada pela infecção está associada a, pelo menos, mais dois sinais. Por exemplo, febre, calafrios e falta de ar, entre outros;
  • Sepse grave – quando há comprometimento funcional de um ou mais órgãos;
  • Choque séptico – queda drástica de pressão arterial que não responde à administração de líquidos por via intravenosa.
     

População e fatores de risco

Estão mais sujeitas a desenvolver sepse as pessoas hospitalizadas, com predisposição genética e sistema imunológico debilitado; os portadores de doenças crônicas como insuficiência cardíaca, renal e diabetes; e os usuários de álcool e outras drogas. São também considerados fatores de risco áreas extensas de queimaduras e ferimentos provocados por arma de fogo ou por acidentes automobilísticos.

Qualquer pessoa, não importa a idade, pode desenvolver a doença. No entanto, bebês prematuros, crianças com menos de um ano e idosos acima de 65 anos constituem o grupo de risco mais suscetível ao aparecimento da síndrome.
 

Recomendações

Como forma de prevenção à sepse, é indicado:

  • Lavar as mãos com frequência com água e sabão;
  • Manter o esquema de vacinação das crianças atualizado;
  • Evitar a automedicação e o uso indiscriminado de antibióticos;
  • Não interromper o tratamento antes do prazo prescrito pelo médico.

Fonte: Instituto Latino Americano de Sepse, Revista Brasileira de Terapia Intensiva e Dráuzio Varella


Tags: sepseinfecção.



Este conteúdo teve 193 acessos.


CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE SÃO PAULO
CNPJ: 63.106.843/0001-97

Sede - Luís Coelho: Rua Luís Coelho, 26
Consolação - São Paulo/SP - 01309-900

Subsede - Vila Mariana: Rua Domingos de Moraes, 1810
Vila Mariana – São Paulo/SP - 04010-200

Sede - Consolação: Rua da Consolação, 753
(Sem atendimento ao público)
Centro - São Paulo/SP - 01301-910

CENTRAL DE ATENDIMENTO TELEFÔNICO
(11) 5908-5600 (de segunda a sexta feira, das 8h às 20h)

HORÁRIO DE EXPEDIENTE PARA PROTOCOLOS
De segunda a sexta-feira, das 9h às 18h


ESTACIONAMENTOS : NOVOS CONVÊNIOS

CONTATOS

Regionais do Cremesp:

Conselhos de Medicina:


© 2001-2017 cremesp.org.br Todos os direitos reservados. Código de conduta online. 283 usuários on-line - 193
Este site é melhor visualizado em Internet Explorer 8 ou superior, Firefox 40 ou superior e Chrome 46 ou superior